Imprensa é oposição. O resto é armazém de secos e molhados."

(Millôr Fernandes, que faria 91 anos em 16/8/2014)

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Oposição defende afastamento de Agnelo do Buriti

Sexta, 9 de dezembro de 2011
Do Blog do Sombra

A oposição ao governo de Agnelo Queiroz na Câmara Legislativa pediu providências imediatas à bancada de sustentação do GDF para que se esclareça o recente episódio que envolveu o policial militar João Dias. O soldado invadiu o Palácio do Buriti, sede do governo local,  na última quarta-feira (7) com o objetivo de devolver, segundo depoimento que prestou à Corregedoria da PM, R$ 200 mil . O dinheiro teria sido utilizado como espécie de “cala a boca” para tentar evitar que o PM denunciasse autoridades do governo do Distrito Federal.
 
“O governo do DF está refém de chantagistas ou de comparsas, como queiram denominar. Brasília está submersa por uma crise que não é dela, que tem nome e sobrenome”, afirmou a deputada distrital Liliane Roriz (PSD).Para ela, o governador Agnelo Queiroz (PT) precisa se afastar imediatamente da chefia do Executivo local para acabar com a instabilidade política da capital do Brasil.
 
João Dias ficou conhecido por denunciar o suposto esquema de desvio de verbas no Ministério dos Esportes, que resultou na queda do então ministro Orlando Silva. É a primeira vez que o PM envolve o GDF em suas denúncias. Até então,  o soldado, que é ex-correligionário de Agnelo, havia mirado em suas acusações apenas no ex-ministro Silva, e poupado integrantes do atual governo. Agnelo foi antecessor de Orlando Silva na chefia do Ministério do Esporte.
 
“Peço aos parlamentares que fazem parte da base do GDF que esqueçam o partidarismo e pensem na população do DF, que nutriu esperanças de uma nova proposta de governo, mas que agora sofre com uma administração mergulhada nessa crise que parece nunca ter fim. Esse seria o mesmo posicionamento que os petistas teriam em outros tempos”, justificou.
O posicionamento de Liliane foi defendido pela distrital Eliana Pedrosa (PSD) ao ressaltar que o episódio envolvendo João Dias não tem nenhuma ligação com a oposição.  Para ela, as instituições do GDF precisam ser preservadas, pois estão sendo colocadas em xeque com os episódios recentes da política local. 

Presidente da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, a deputada Celina Leão (PSD) comunicou que vai convidar o PM João Dias e o secretario Paulo Tadeu (PT) para que esclareçam o episódio na Câmara Legislativa. Segundo ela, as agressões às servidoras durante a invasão do PM ao Palácio do Buriti também precisam ser investigadas.