Imprensa é oposição. O resto é armazém de secos e molhados."

(Millôr Fernandes, que faria 90 anos em 16 de agosto)

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Diante de fatos, não há argumentos

Segunda, 30 de abril de 2012
Do Blog do Sombra
Nota do deputado Chico Vigilante
Com muito pesar, verdadeira tristeza, venho a público me manifestar sobre a denúncia que foi aoar no DFTV 1ª edição desta segunda-feira (30 de abril). Poderia dizer que não me causa surpresa, mas estou sim estupefato, apesar de ter dito e repetido diversas vezes que o crime organizado estava por trás da aprovação do projeto de lei complementar no 01/2011, de minha autoria, na Câmara Legislativa. ...

A denúncia confirma aquilo que eu bradei aos sete ventos por ocasião da tentativa de aprovação da emenda 8. A minha suspeita era exatamente esta e ela se confirma agora: esta é a força dos agentes do cartel.


Quantas vezes, nesta que é uma luta que travo sozinho desde à época da CPI dos Combustíveis, tenho falado da existência de um grupo ligado ao crime organizado combatendo duramente a aprovação do PLC 01/2011, que prevê a instalação de postos de combustíveis nas imediações dos supermercados aqui no DF.


O objetivo do PLC é um só: aumentar a concorrência no setor de combustíveis aqui no DF, quebrar o cartel e reduzir os preços a exemplo do que aconteceu em outras cidades do País e no exterior, como apontam estudos do Ministério da Justiça.


Chico Vigilante (PT)

Líder do Bloco PT/PRB na Câmara Legislativa
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Fonte: Blog do Sombra / TV Globo DFTV 1ª Edição / Chico Vigilante - 30/04/2012

Francischini pede audiência com militares para esclarecer escutas ilegais no GDF

Segunda, 30 de abril de 2012
 
O deputado Fernando Francischini (PR) apresentou requerimento à Comissão de Segurança Pública da Câmara pedindo a realização de audiência pública para esclarecer denúncias de escutas ilegais contra autoridades no Distrito Federal. O documento, que deve ser votado nesta quarta-feira (2), solicita a presença de quatro militares para explicar gravações e o vazamento de informações confidenciais do governo do DF.  ...

De acordo com reportagem do “Correio Braziliense”, o servidor da Subsecretaria de Inteligência do GDF João Teixeira admitiu que gravou clandestinamente imagens do gabinete do governador Agnelo Queiroz. Pessoas ligadas a Agnelo associaram os nomes relatados em um depoimento prestado na polícia por Teixeira ao deputado Francischini apenas por ambos trocarem mensagens pelo Twitter.


“Essas afirmações justificam a realização da audiência pública para esclarecer de onde realmente estão partindo estas acusações, quem são os arquitetos intelectuais deste esquema e, principalmente, mostrar que conversar por redes sociais abertas não é espionagem e muito menos crime”, destaca o deputado. Caso a requisição seja aprovada, serão convidados o Chefe da Casa Militar do DF, Cel. Rogério Leão, e os tenentes-coronéis da PMDF Soraya Barbosa Sales de Almeida, Récio Torres e Vieira Neto.


(Reportagem: Djan Moreno/ Foto: Alexssandro Loyola)

Fonte: PSDB na Câmara - 30/04/2012

Vice-presidente do PDT confirma Brizola Neto como novo ministro do Trabalho

Segunda, 30 de abril de 2012
Da Agência Brasil

Roberta Lopes, repórter
O deputado federal do PDT Brizola Neto (RJ) foi o escolhido pela presidenta Dilma Rousseff para assumir o comando do Ministério do Trabalho. A pasta está ocupada interinamente, desde dezembro, por Paulo Roberto Pinto, ex-secretário executivo do ministério. A informação foi passada pelo líder do PDT na Câmara e vice-presidente da legenda, deputado André Figueiredo (RJ).

Segundo ele, a decisão foi tomada depois de uma reunião, pela manhã, entre Dilma, o presidente do PDT, Carlos Lupi, e o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho.

Estavam na lista da legenda, além de Brizola Neto, o deputado Vieira da Cunha (RS) e o secretário-geral do partido, Manuel Dias. Esses dois eram a preferência do partido.

Procuradores da República em Minas Gerais soltam Nota de Repúdio ao novo Código Florestal

Segunda, 30 de abril de 2012
Do MPF
Procuradores afirmam que a nova legislação significa inaceitável retrocesso e total desprezo com quem cumpriu a lei hoje em vigor

A recente aprovação do projeto de lei do novo Código Florestal pela Câmara dos Deputados revela completo descompromisso com o direito transindividual, intergeracional e fundamental ao meio ambiente ecologicamente equilibrado.

O projeto aprovado, ao invés de garantir adequada proteção ao meio ambiente - que é essencial à sadia qualidade de vida das presentes e futuras gerações -, atende primordialmente aos interesses econômicos de pequena parcela da população.

As recentes catástrofes ambientais e as constantes mudanças climáticas indicam que a tutela ambiental é hoje, na verdade, insuficiente, e precisa ser ampliada para garantir com eficácia sadia qualidade de vida a esta e a futuras gerações.

Não obstante e apesar das várias manifestações contrárias de organizações da sociedade civil, integrantes do poder público, Ministério Público e instituições científicas demonstrando a ausência de base científica, bem como a desnecessidade e inadequação da reforma pretendida, os deputados federais parecem ter ouvido apenas os anseios dos setores produtivos. Assim, desconsiderando as legítimas expectativas do restante da população, renunciaram ao padrão de proteção ambiental hoje proporcionado pela legislação e que já estava incorporado ao rol de direitos fundamentais de cada cidadão.

Ademais, em prejuízo da segurança jurídica e demonstrando total desprezo pelos milhares de produtores que cumpriram a legislação vigente, o projeto chancelado pela Câmara dos Deputados anistia aqueles que ilegalmente suprimiram vegetação nativa.

A exemplo do que já ocorreu em outras unidades da federação - dentre as quais o Estado de Minas Gerais, que reduziu sem respaldo técnico a proteção das margens de reservatórios artificiais em benefício de parcela da população e em detrimento do direito ao meio ambiente - e em total inobservância aos compromissos internacionais assumidos pela República Federativa do Brasil, os deputados federais chancelaram diminuição da preservação ambiental, em inaceitável retrocesso, o que é veementemente repudiado pelos Procuradores da República em Minas Gerais que abaixo assinam:

Blog do Garotinho: A farra de Cabral, Sérgio Côrtes e do empreiteiro no show do U-2

Segunda, 30 de abril de 2012
Do Blog do Garotinho, que está desmontando a imagem política de Sérgio Cabral, governador do Estado do Rio de Janeiro:
= = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =

Desculpe pela demora, mas um hacker tentou invadir nossos arquivos e tivemos sérios problemas técnicos, a última postagem ocorreu pouco depois das 15 horas.


Ai está o show do U-2 com Cabral abraçado a Adrina Ancelmo.
 
Amanhã [hoje, segunda-feira] vamos ter fortes emoções aqui no Blog, inclusive mostrando a foto do secretário de Cabral que a Polícia Federal afirma ter contas ilegais no exterior, jantando com o empreiteiro da Delta.

Agora, Sergio Cabral culpa o ex-amigo e cúmplice Cavendish pelo vazamento das fotos e imagens

Segunda, 30 de abril de 2012
Carlos Newton
O governador Sérgio Cabral está absolutamente descontrolado. Sabe que a divulgação das fotos e das filmagens de suas alegres visitas a Paris liquidaram com sua carreira política.

Seu plano político, conforme Helio Fernandes revelou aqui na Tribuna em primeira mão, era ser nomeado embaixador na capital francesa, passar três anos na farra pela Europa e depois voltar em 2018 como candidato a vice-presidente da República na chapa do PT. Mas o sonho acabou.

Desde o começo do caso Cachoeira, Cabral não consegue dormir direito. Sabe que a derrocada de Fernando Cavendish, dono da Delta e seu cúmplice em muitas negociatas, vai atingir diretamente o governo estadual, e cada foto ou imagem divulgada pelo blog do deputado Anthony Garotinho vale mais do que um milhão de palavras.

Cabral, se pudesse, mandaria acabar com Garotinho. Mas seu ódio maior é dirigido agora ao ex-amigo Fernando Cavendish, porque as fotos foram feitas pela então mulher dele, Jordana, que o acompanhava na farra em Paris.

Entre todos os membros da quadrilha, Cavendish foi o mais irresponsável. Ele até achava divertida a mania de Jordana viver fazendo fotos. Afinal, todo mundo curtia. Mas o resultado da brincadeira acabou sendo desastroso.

Para tirar uma onda e mostrar o quão importante o marido havia se tornado, Jordana cometeu o erro de enviar por email as imagens para outras pessoas. E uma delas, talvez por inveja, simples inveja, passou adiante as fotos e acabou prestando um serviço especial à nação.

Quem vazou as fotos e imagens na verdade se tornou um herói anônimo, que deveria merecer uma estátua pelos serviços públicos que está prestando a todos os brasileiros, ao revelar quem é Sergio Cabral e quem está na sua quadrilha.

Como dizia o colunista Ibrahim Sued, em sociedade tudo se sabe. E logo se ficou sabendo que Jordana foi a autora das fotos. Mas não foi ela quem fez a filmagem do jantar de poucos lugares, na comemoração do aniversário da mulher de Cabral, Adriana Ancelmo (que no ano passado até chegou a deixar de ser a primeira dama, quando Cabral namorava Fernanda, irmão de Jordana e cunhada de Cavendish. Porém, com a morte da rival no acidente de helicóptero, Adriana voltou a ocupar o antigo posto). Esta filmagem foi feita por outra pessoa, porque Jordana aparece em cena.

Quanto a Cabral, também merece um monumento que o perpetue. Mas tem que ser uma estátua equestre – metade cavalo, e a outra metade, também, como nosso amigo Helio Fernandes sugere genialmente.

Fonte: Tribuna da Internet

Metade dos haitianos deportados dos EUA não foram condenados por nenhum crime

hre
Segunda, 30 de abril de 2012
Da Pública
Agência de Reportagem e Jornalismo Investigativo
Por Jacob Kushner, do Florida Center for Investigative Reporting

Depois do terremoto que arrasou o Haiti, o governo americano prometeu que só deportaria para aquele país criminosos perigosos. Novo dados mostram que ele mentiu. 

Apesar da administração Obama priorizar criminosos perigosos para deportações após o  terremoto para o Haiti, dados obtidos pelo Florida Center for Investigative Reporting, parceiro da Pública, mostra que quase metade dos haitianos detidos nos EUA desde então não haviam sido condenados por nenhum crime.

De uma amostra de 260 imigrantes ilegais enviados ao Haiti após o terremoto de janeiro de 2010, 114 – ou 44% – não tinham condenações penais, de acordo com os dados do governo obtidos através de um pedido pelo Freedom of Information Act, a lei de acesso à informação americana.

Outros 39 haitianos que ainda estavam sob a custódia da agência para Imigração e Alfândega (ICE, na sigla em inglês) em janeiro de 2012 não tinham condenações penais, sugerindo que o ICE continua a processar imigrantes não criminosos. Leia a íntegra

Termina hoje prazo para entrega da declaração do IRPF

Segunda, 30 de abril de 2012
Da Agência Brasil

Daniel Lima, repórter
O prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2012 termina hoje às 23h59min59s (horário de Brasília) na internet. Quem fizer a opção de entregar a declaração em disquete de computador deve ir a uma agência da Caixa ou do Banco do Brasil dentro do horário de atendimento bancário. A multa mínima por atraso na entrega da declaração é R$ 165,74.

O programa gerador da declaração está disponível na página da Receita na internet. O contribuinte também deve baixar o Receitanet, aplicativo para transmissão dos dados, no mesmo endereço.

Um tutorial na página da Receita Federal pode auxiliar o contribuinte a preencher a declaração. No site ainda é possível encontrar uma lista de perguntas e respostas para tirar as dúvidas mais frequentes.

Até as 17h de ontem (5), balanço da Receita Federal indicava que 3,2 milhões de contribuintes ainda não haviam acertado as contas com o Fisco.

Desvios na investigação

Segunda, 30 de abril de 2012 
Por Ivan de Carvalho
O caso começou com um inquérito da Polícia Federal para apurar atividades ilegais de Carlinhos Cachoeira. Um juiz federal de primeira instância autorizou as escutas telefônicas. Difícil garantir que não hajam ocorrido, antes da autorização judicial, escutas clandestinas, mas, salvo prova em contrário, considere-se que não.

            Aí surgem, na outra ponta da linha de Cachoeira, diversas pessoas, que vão entrando para o rol das grampeadas. E as pessoas que falam por telefone com essas pessoas que falaram com Cachoeira também vão sendo incorporadas ao rol das grampeadas. Para isto ficar bem fácil, foram comprados os Guardiões.

            Assim, o grampo autorizado judicialmente para a vigilância de Carlinhos Cachoeira passa a funcionar como o que os astrônomos qualificam de buraco negro – nada que ultrapasse o horizonte de eventos (o que, no caso, significa a comunicação telefônica com Cachoeira, ou com os que mantiveram contato telefônico com ele, ou que conversaram eletronicamente com quem conversou com os que conversaram com Cachoeira) escapa.

            Uma coisa interessante de saber é se cada nova pessoa que transpôs o horizonte de eventos teve seu nome e justificativa para escuta levados pela Polícia Federal para receber a autorização judicial e passar a ser monitorada independentemente de estar em telefonema com Cachoeira ou com outra pessoa qualquer, por exemplo, sua namorada, ou amante em relação adúltera (que no Brasil já não é crime, mas continua sendo valioso objeto da bisbilhotice com eventual ânimo de chantagem).

            Bem, mas aí atravessa como um bólido o horizonte de eventos um senador da República, na época, líder do segundo principal partido da oposição no Senado, hoje sem partido. Demóstenes Torres. A conversa é potencialmente significativa para a investigação. A PF vai ao juiz de primeira instância que vinha supervisionando o inquérito? Se não vai, e escuta uma segunda vez o senador, comete abuso de poder. Se vai, o juiz tem a obrigação de imediatamente remeter o caso para ao STF. Se não o faz, como não o fez, atua de maneira inconstitucional. Considere-se ou não acertado o foro preferencial (privilegiado), ele existe na Constituição e enquanto estiver lá, deve ser observado. Todo juiz sabe disso.

            Mas ele, o juiz, e o procurador geral da República, e um ou outro mais, consideram que a presença do senador na gravação (ou nas gravações) foi “incidental”. Ora, que porcaria de argumento! “Incidental” durante um ano e meio ou dois anos de gravações frequentes de numerosíssimas conversas do senador. Continuou “incidental” esse tempo todo? É como se alguém incidentalmente morresse e continuasse “incidentalmente morto” para sempre.

            No mesmo caso está o aparentemente enrolado governador goiano e tucano (oposição) Marconi Perillo. Seu foro preferencial é o Superior Tribunal de Justiça, mas a investigação e a escuta telefônica contra ele foram feitas sob a responsabilidade maior do mesmo juiz de primeira instância.

            Não se está aqui defendendo os investigados, mas questionando a conduta dos responsáveis pela investigação e apontando desvios que não devem ser negligenciados, sob pena de comprometer-se a segurança jurídica. Que é essencial, ainda mais quanto ao monitoramento das pessoas, nesse mundo do Big Brother, que já estendeu suas antenas sobre nós, brasileiros.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Este artigo foi publicado originalmente na Tribuna da Bahia desta segunda.
Ivan de Carvalho é jornalista baiano.

Crescimento do lixo eletrônico ameaça a saúde da população e o meio ambiente

Segunda, 30 de abril de 2012
Da Agência Brasil
Alana Gandra, repórter
O crescimento significativo do lixo eletrônico (e-lixo) no Brasil vem preocupando os técnicos da Secretaria Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (SEA). O resíduo desse tipo de material contém substâncias perigosas, que podem impactar o meio ambiente e ameaçar a saúde da população. A estimativa é que cada brasileiro descarta cerca de 0,5 quilo de resíduos de equipamentos eletroeletrônicos por ano.

O superintendente de Resíduos Sólidos da secretaria, Jorge Pinheiro, disse à Agência Brasil que em razão das substâncias perigosas contidas nesse tipo de aparelhos, é necessário organizar uma logística reversa no estado que acompanhe as discussões dos acordos setoriais, previstos na Lei 12.305/10, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Caberá ao grupo de trabalho técnico, constituído em Brasília, definir o acordo setorial, que dará as diretrizes para implementação da logística reversa dos eletroeletrônicos, disse.

domingo, 29 de abril de 2012

Agnelo enviou emissários a Cachoeira

Domingo, 29 de abril de 2012

Escutas feitas pela PF mostram que contraventor recebeu assessores de governador; petista queria que Demóstenes parasse de atacá-lo


Assessores do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), figuram como mensageiros do petista em diálogos com Carlinhos Cachoeira e seus aliados, apontam as investigações da Polícia Federal na Operação Monte Carlo. Nas conversas, eles levam supostos recados de Agnelo e tratam de interesses da organização criminosa no governo.
 
Apontado no inquérito como o "01 de Brasília", o próprio governador teria enviado, via Cachoeira, um aviso ao senador Demóstenes Torres para que críticas a seu respeito cessassem. A informação aparece no resumo de um dos telefonemas entre o contraventor e o ex-diretor da Delta Construções, Cláudio Abreu, em 6 de julho de 2011. Leia mais

Fontes: Estadão
Blog do Sombra 

Mais ferro em cima da Delta

Domingo, 29 de abril de 2012
A farra de Cabral, Cavendish e sua turma na França
Reprodução da capa do Globo
Reprodução da capa do Globo

É impressionante o que se descobre a cada dia envolvendo Cabral e seus secretários, Cavendish e a Delta. Até funcionários fantasmas a Delta usava para aumentar o preço dos seus contratos. Dizia que trabalhava com “x” empregados, mas na verdade o número era muito menor. Obras inacabadas, documentos falsos em licitações. Nunca vi nada parecido.

Mas conforme lhes prometi durante a tarde mostraremos o vídeo de Cabral, Cavendish e Sérgio Côrtes com as respectivas esposas no show do U – 2, no Stade de France, em Paris.
Fonte: Blog do Garotinho

PGR: lei do DF ofende a Constituição ao impor transposição de servidores públicos

Domingo, 29 de abril de 2012
Transposição de técnicos penitenciários do DF sem concurso é inconstitucional, diz Procuradoria Geral da República
= = = = = = = = = = = = = = = = = = = =
Do MPF
De acordo com parecer da Procuradoria Geral da República, lei distrital ofende os princípios da segurança jurídica, legalidade e proporcionalidade, além do direito adquirido à estabilidade 

 São inconstitucionais os artigos 3º e 4º da Lei 4.508, editada pelo Distrito Federal em outubro de 2010, que conferem prazo de até sete anos para que ocupantes do cargo público de agente de atividades penitenciárias concluam curso de nível superior. Esse é o teor do parecer emitido pela Procuradoria Geral da República na ação direta de inconstitucionalidade (ADI 6702), ajuizada pelo Governador do Distrito Federal contra a referida lei. Para a PGR, é procedente o pedido de declaração da inconstitucionalidade dos referidos artigos da lei. 

No parecer, assinado pela vice-procuradora-geral da República, Deborah Duprat, consta a alegação do autor da ação de que as normas impugnadas burlaram a exigência constitucional de concurso público ao efetivarem a transposição de ocupantes de cargo de nível médio para cargo de nível superior de escolaridade. Para a vice-PGR, a análise isolada do dispositivo não caracteriza inconstitucionalidade pelo fato de seu conteúdo estar abrangido na competência do ente distrital de organizar seus órgãos. Entretanto, “a elevação do nível de escolaridade caracteriza modificação das atribuições do cargo e, consequentemente, gera uma indevida transposição derivada dos servidores antigos para o exercício de atividades para as quais não são considerados qualificados pelo art. 4º da lei distrital”, afirma o parecer.

Duprat esclarece que a doutrina administrativista afirma que, “a partir da definição legal de cargo público, este corresponde a uma posição jurídica no aparato estatal que envolve determinadas funções a serem desempenhadas por servidores efetivos, estando todos esses elementos sujeitos a mudanças impostas pela administração”. E conclui ao destacar que, “como o servidor é parte integrante do cargo, não se pode conceber que inexista mudança na natureza e nas atribuições de um cargo se o sujeito que já o exerce passar a ser considerado inapto para cumprir as respectivas atividades”.

Sobre o dispositivo da Lei que exige dos servidores antigos a elevação de sua escolaridade para que continuem a desempenhar as mesmas funções já exercidas, a vice-procuradora-geral da República considera que há três inconstitucionalidades materiais por violação do princípio da segurança jurídica e ao direito adquirido dos servidores públicos à estabilidade, ao princípio da legalidade, e ao princípio da proporcionalidade.

A ofensa à segurança jurídica reside no fato de os artigos da lei impugnada desrespeitarem o direito adquirido dos servidores à estabilidade pois, na prática, o diploma impõe aos servidores que preencham um nível de escolaridade que não lhes era exigido quando do seu provimento originário no cargo, sem que haja qualquer modificação nas suas atribuições cotidianas. Já o princípio da legalidade é violado pois não há uma alternativa funcional em caso de descumprimento da exigência imposta pela lei. Por fim, o parecer ressalta que a norma do art. 4º viola o princípio da proporcionalidade ao fixar em sete anos o prazo para os servidores antigos concluírem algum curso superior. Para Duprat, “consideradas as circunstâncias práticas da vida social, tal exigência e seu período de cumprimento caracterizam medida inadequada, inexigível e desproporcional em sentido estrito”.

No Supremo Tribunal Federal, o relator da ADI 6702 é o ministro Ayres Britto
.

Cenas da ocupação!

Domingo, 29 de abril de 2012
Do Blog do Washington Dourado
Este foi um dia histórico, de uma luta justa! Quem participou nunca esquecerá deste dia! Este foi um daqueles dias em que o sofrimento da luta será sempre lembrado com carinho e orgulho!

Nossa atitude cívica foi legítima! E que se envergonhe aqueles que impediram o acesso da comida, da água e colocaram subordinados para sabotar o acesso de alimentos. Que se envergonhem os que usam o nome dos trabalhadores em vão, pois quem esteve neste dia de luta, jamais perderá o orgulho deste momento!





É D'Oxum

Domingo, 29 de abril de 2012
Morre Vevé Calazans, 64 anos, mestre do jingle e autor com Geronimo de “É D`Oxum”, um hino de Salvador. Leia mais no Blog Bahia em Pauta.

Blog do Garotinho: Farra de Cabral, Cavendish e sua turma custou cerca de US$ 400 mil

Domingo, 29 de abril de 2012
A seguir postagem das 22h46 de ontem (28/4) no Blog do Garotinho. O blog está conseguindo acabar de destruir a imagem pública do governador do Rio de Janeiro.
= = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =

Do Blog do Garotinho
Vocês vão ver no vídeo abaixo, o restaurante que Cabral fechou em Paris para comemorar junto com seus amigos, o aniversário da sua mulher Adriana Ancelmo. Fontes que consultei informaram que em condições normais com esse restaurante aberto ao público, um jantar regado a vinhos franceses não sai por menos de US$ 2.000 por pessoa. Imaginem quanto custou fechando restaurante só para a turma de Cabral fazer a festa.

Embora Cabral tenha negado na sua nota oficial, trata-se do restaurante L’Espadon, do Hotel Ritz, em Paris, um dos mais sofisticados da Europa. Uma estimativa por alto calculou que uma semana para quatro casais, viajando em 1ª classe, se hospedando num dos hotéis mais caros do mundo, almoçando e jantando nos restaurantes mais sofisticados, fazendo compras em lojas de luxo e ainda comprando ingressos para o show do U – 2, na área mais cara do Stade de France deve ter custado cerca de US$ 400 mil. Mais uma vez a turma de Cabral se diverte com o dinheiro do povo.

Na nota anterior citei que o gasto dessa farra foi em torno de US$ 100 mil, mas esse é o cálculo por casal levando em consideração que a farra em Paris durou uma semana. Somando os quatro casais dá cerca de US$ 400 mil.

Vocês vão assistir Cabral dando uma de maestro regendo o “Parabéns” para sua mulher Adriana enquanto o povo da Região Serrana sofre sem as casas que Cabral prometeu e não fez até hoje. Sérgio Côrtes na maior felicidade enquanto pessoas morrem nas filas dos hospitais estaduais. Parece um filme de conto de fadas, com príncipes encantados e rainhas em palácios. O cinegrafista foi Cavendish usando o seu telefone celular.

O povo revoltado e perplexo assiste à verdadeira orgia praticada por quem deveria dar o exemplo.


Neste domingo vou então mostrar o vídeo prometido de Cabral, Cavendish e Sérgio Côrtes com as respectivas esposas se esbaldando no Stade de France, no show do U – 2

sábado, 28 de abril de 2012

Controle social é a única receita para a CPI acontecer corretamente, afirma especialista

Sábado, 28 de abril de 2012
Do Contas Abertas

Dyelle Menezes
Nunca antes na história desse país tantos casos de corrupção ganharam as páginas da imprensa. Depois das inúmeras irregularidades em convênios com entidades privadas sem fins lucrativos no ano passado, vieram à tona denúncias que ligam o contraventor Carlinhos Cachoeira, preso na Operação Monte Carlo da Polícia Federal, ao senador Demóstenes Torres, aos governos de Goiás e Distrito Federal e, até mesmo, à União, por meio da maior empreiteira de obras federais do país, a Delta Construções S.A.

Servindo como cortina de fumaça ou não para o julgamento do Mensalão, as denúncias levaram à criação e instalação de uma CPI no Congresso Nacional. Para o professor de ética e filosofia na Universidade de Campinas, Roberto Romano, a pressão social transformada em controle social é a única receita para que essa CPI aconteça da maneira correta. “Caso contrário, a tendência é que as denúncias caiam no esquecimento e que o Congresso finja que realizou a CPI”, explica.

Confira a entrevista completa que o Contas Abertas realizou com o especialista.

Ai que saudade em tenho da Bahia

Sábado, 28 de abril de 2012

A dignidade do professor

Sábado, 28 de abril de 2012
Verdade pura, tiraram nosso salário não nossa dignidade! (Comentário de uma professora no Blog do Washington Dourado sobre o corte de salário dos grevistas e determinado pelo governador Agnelo Queiroz)

Projeto de Chico Leite prevê maior segurança para vítimas e testemunhas em inquéritos policiais no DF

Sábado, 28 de abril de 2012
Uma das maiores dificuldades na realização de um inquérito policial é se conseguir testemunhas do delito. É natural que, para se preservarem de vingança, aqueles que presenciaram um crime evitem testemunhar no inquérito. Isso faz com que o Estado tenha dificuldade de apurar com profundidade o crime, o que permite, muitas das vezes, que o criminoso consiga, mais adiante, escapar das malhas da Justiça.

Até vítimas de crimes como assaltos, por exemplo, evitam dar queixa à polícia, pois temem a vingança dos criminosos. Seus nomes, e também os das testemunhas, ficam disponíveis nos boletins de ocorrência e inquéritos policiais.

Para proteger vítimas e testemunhas, foi aprovado nesta semana na Comissão de Direitos Humanos da CLDF um projeto de lei que preserva as suas identidades nos processos investigatórios da Polícia Civil do Distrito Federal. O projeto de lei número 1.157/2009, apresentado pelo deputado Chico Leite, foi sugestão de um cidadão.

Como a exposição dos dados pessoais de testemunhas e vítima tornam essas pessoas vulneráveis, visto que o indiciado tem acesso aos documentos da peça investigatória da polícia, o projeto prevê que as informações pessoais fiquem em envelopes lacrados, que serão remetidos à Justiça quando da abertura do processo penal.

Agora o projeto de lei 1.157/209 terá que ser submetido à Comissão de Constituição e Justiça da CLDF. Projeto semelhante tramita na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

Vice de Agnelo pede apuração de grampo no DF

Sábado, 28 de abril de 2012
Deu em "O Estado de S. Paulo"

Filippelli (PMDB) solicitou investigação formal de suposta espionagem na Casa Militar; relação com governador Agnelo (PT) azedo

Vannildo Mendes, de O Estado de S.Paulo
Receoso de que tenha sido bisbilhotado dentro do próprio governo do Distrito Federal, o vice-governador Tadeu Filippelli (PMDB) decidiu nesta sexta-feira, 27, pedir formalmente ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e à Procuradoria-Geral da República (PGR) explicações sobre a suposta rede de espionagem ilegal que teria sido montada na Casa Militar. A suspeita azedou a relação do governador Agnelo Queiroz (PT) com o vice, que comanda no DF o principal partido da base aliada.

Segundo denúncias da oposição, um núcleo de inteligência, supostamente montado pelo coronel Rogério Leão, chefe da Casa Militar do governador, teria quebrado sigilos pessoais de cerca de 80 pessoas e grampeado autoridades, jornalistas e políticos - de adversários a aliados de Agnelo. Entre eles estariam o deputado federal Fernando Francischini (PSDB-PR), o jornalista Edson Sombra, que edita um blog crítico ao governo e o próprio Filippelli, maior beneficiário de um fracasso de Agnelo.

Filippelli já havia feito a mesma consulta ao Ministério Público local, que, numa investigação de rotina, teria descoberto a existência de uma rede de grampos no Palácio do Buriti. Mas, diante de resposta ambígua, recebida nesta sexta, ele resolveu recorrer às instâncias federais. Leia a íntegra

 

IRPF e Justo Veríssimo


Sábado, 28 de abril de 2012 
Por Ivan de Carvalho
Milhões de brasileiros estão na corrida que fazem todos os anos para acertarem as contas com o Leão do Imposto de Renda, figura mítica que a propaganda criou com a intenção de meter medo, como se o medo fosse um bom sentimento, a ser estimulado e cultivado. Basta uma olhada na Bíblia para entender o monstro que o medo é.
             
Quase todos sabem – as exceções são os demasiado inocentes e os verdadeiros idiotas – que não terão um retorno respeitável pelo sacrifício que lhes é imposto (sem trocadilho) com o que já pagaram e ainda vão pagar de IRPF.

            A prova: segundo dados oficiais do Senado Federal, o Orçamento Geral da União executado até 31 de dezembro de 2001 alcançou um total de R$ 1,571 trilhão. Desse total, R$ 708 bilhões, correspondentes a 45 por cento, foram gastos no pagamento de juros e amortização da dívida pública. A título de curiosidade, registre-se que os bancos nacionais e estrangeiros detinham, aqui segundo dados de 2010, nada menos que 55 por cento da dívida pública interna.

            Mas, voltando ao principal, se 45 por cento do orçamento realizado foi pelo ralo da dívida e percentuais outros muito expressivos escorreram pelos ralos da corrupção, do desperdício, da irresponsabilidade e da incompetência, nenhum retorno sério se pode esperar dos tributos para os setores de saúde, segurança pública, educação de qualidade e infraestrutura capaz de gerar e consolidar uma economia competitiva.

            Estudos cujos resultados têm sido divulgados sem contestação do governo dão conta de que os brasileiros, em média, claro, trabalham cinco meses por ano para o governo – para pagar os tributos – e nos sete meses restantes se viram para sobreviver.

            Mas, ainda que se fale muito em reforma tributária, desoneração tributária, diminuição do “custo Brasil” e outras conversas moles, pode-se perder a esperança de uma redução da carga tributária bruta enquanto houver a dívida pública já referida e os outros ralos dos recursos públicos continuarem tão ativos quanto estão.

            Sobre o IRPF, por exemplo, nos sombrios tempos do regime militar havia deduções, dentro de certos limites percentuais, para roupa, livros técnicos, cursos de aperfeiçoamento profissional e outras utilidades. Tudo isso foi sendo cortado.

            Hoje, ao lado de uma safada manipulação dos reajustes da tabela, que está absoluta e confessadamente defasada em relação à inflação (o que aumenta o valor do IRPF), resta, entre as poucas e modestíssimas deduções ainda permitidas, um verdadeiro absurdo.

            Trata-se da dedução de despesas médicas e hospitalares e com planos de saúde. A pessoa fica doente e vai ao médico ou ao hospital. Pode deduzir (da renda, não do imposto) o valor dos serviços médicos e a conta do hospital e de alguns tratamentos (radioterapia, quimioterapia, fisioterapia). Mas se o médico receita remédios, às vezes de uso contínuo, outras não, o valor dos medicamentos não pode ser deduzido, por mais comprovado (com receita e nota fiscal) que esteja.

            É, além de uma crueldade, na linha de Justo Veríssimo – “Eu quero é que pobre se exploda” –, uma contradição lógica. A pessoa sente-se doente, vai ao médico, é produzido um diagnóstico. Isso é dedutível. Então é receitado um remédio. Isso não é dedutível, certamente porque não é importante. Importa menos que a pessoa seja curada. Mais vale que morra, sem medicamento, mas ciente do mal que a está matando.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Este artigo foi publicado originalmente na Tribuna da Bahia deste sábado.
Ivan de Carvalho é jornalista baiano.
 - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Imagem da internet

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Decepante e Decepcionante

Sexta, 27 de abril de 2012
Chico Alencar*
A proposta do Código Florestal apresentada pelo deputado Paulo Piau (PMDB/MG) é decepante e decepcionante. Decepcionante porque Sua Excelência sempre proclamou “isenção” e “olhar técnico” sobre o projeto que veio do Senado. Ele não procedeu assim: atuou, nas modificações propostas, de acordo com os interesses do agronegócio. Aqui não se trata de um Código Florestal, mas de um Código facilitador das grandes atividades econômicas no campo brasileiro. O enfoque produtivista, sem mediação com a urgente e necessária preservação ambiental, predominou. A fantástica biodiversidade e os ricos biomas brasileiros, já tão maltratados, continuarão vulneráveis. 

Relembramos que o Código Florestal em vigor, desde 1965, agora sepultado, nunca foi respeitado integralmente. Isto explica nossos recordes de desmatamento, enchentes destruidoras, estiagens recorrentes, espécies em extinção. Tudo soma negativamente para os extremos climáticos que afetam o planeta como um todo. E atinge nossa lisonjeira posição de país que tem a maior reserva de água doce do mundo.

Das 21 propostas de alteração feitas pelo relator, apenas duas procedem, por retirarem repetições do texto que veio do Senado. As demais são desastrosas: rejeitam princípios como a “importância da biodiversidade”, o “compromisso com a sustentabilidade”, a “proteção da vegetação nativa” e a “integração da norma florestal com as demais políticas ambientais”. Tudo isso foi simplesmente retirado do artigo 1º, para evitar “dubiedade na Justiça”, segundo o relator!

A proposta, que obteve apoio da maioria do plenário da Câmara, é FRAGILIZADORA: das nascentes, dos cursos d´água, dos rios, das matas ciliares, dos manguezais, dos nossos biomas. Deixa indeterminada a recuperação da vegetação nativa nas Áreas de Proteção Permanente. Exclui a delimitação de faixa de proteção das veredas. Não exige APPs em reservatórios de água de até um hectare. Dispensa também APPs em imóveis de até 15 módulos voltados para a aquicultura. Rejeita a determinação de que municípios delimitem faixas de passagem de inundação por meio dos planos diretores e leis de uso do solo. Recusa a exigência de implantação e manutenção de áreas verdes de 20 metros quadrados por habitante nas novas expansões urbanas. Retira controles sobre a atividade madeireira, inclusive a emissão de documento de origem florestal. Exclui a obrigatoriedade da oitiva do órgão ambiental federal para supressão de vegetação que abrigue flora ou fauna ameaçada de extinção. Favorece créditos e incentivos a ruralistas, sem exigências de programa de regularização ambiental no prazo de 5 anos, anistiando e premiando a quem desmatou irregularmente. Joga fora a destinação de 30% dos recursos arrecadados com cobrança pelo uso da água (Lei 9.433/97) para manutenção, recomposição ou recuperação de Áreas de Preservação Permanente em bacias hidrográficas. Abre novas possibilidades de empreendimentos da carcinicultura e outras atividades econômicas nos biomas costeiros. Transfere para legislação posterior, inclusive de âmbito estadual, a obrigatoriedade da recomposição das matas ciliares.

Tudo isso poderá soar, sem dúvida, como um ‘liberou geral’ para os que exploram economicamente o campo brasileiro.

Por tudo isso, quando a consciência cidadã planetária se empenha no princípio do CUIDADO e da PRECAUÇÃO, e o mundo sofre com a devastação do produtivismo sem critérios, só podemos repudiar essas alterações no Código Florestal Brasileiro. O PSOL, como da votação inicial aqui na Câmara, e como praticado no Senado Federal, por nossa representação, afirma que todo esse processo está equivocado: não buscou informações junto à ciência, manipulou os pequenos da agricultura camponesa e extrativista como biombo para os interesses dos grandes, agiu no interesse imediato, descomprometido com as futuras gerações e o Bem Viver na Terra.

Sobre a decisão que o Parlamento tomou, cabe alertar: o futuro nos cobrará, a História não nos absolverá.

*Discurso de Chico Alencar da tribuna da Câmara, em 25 de abril, sobre o Novo Código Florestal. Chico é deputado federal pelo Psol do Rio de Janeiro.

Ex-perseguidos fazem manifestação para pedir rapidez na instalação da Comissão da Verdade

Sexta, 27 de abril de 2012
Da Agência Brasil

Daniel Mello, repórter
São Paulo – Ativistas dos direitos humanos e ex-perseguidos políticos da ditadura militar fizeram uma passeata no início da noite de hoje (27) na Avenida Paulista, na região central da cidade. Após a caminhada, eles entregaram uma carta no escritório da Presidência da República pedindo que a presidenta Dilma Rousseff nomeie rapidamente os sete membros que integrarão a Comissão da Verdade.
A lei que cria a comissão foi sancionada em novembro. Falta agora a nomeação dos membros que serão responsáveis por investigar as violações de direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988. A comissão terá dois anos para tomar depoimentos e requisitar e analisar documentos que ajudem a esclarecer os abusos.

Membro do Comitê Paulista pela Memória, Verdade e Justiça, José Luiz Del Roio, disse que a urgência é importante por causa da idade avançada das pessoas que viveram o período ditatorial – entre 1964 e 1985. “Muitos de nós, que somos testemunhas, a idade começa a ser muito avançada. O tempo está levando muitos de nós. Nesse sentido, a presidenta precisa se apressar, caso contrário, não existirão testemunhas”, ressaltou.

Amelinha Teles, que faz parte da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos, disse que a principal preocupação é que não sejam indicados militares para fazer parte da Comissão da Verdade. “Infelizmente, a representação, tanto do Exército como das Forças Armadas, neste momento não tem idoneidade, por não terem esclarecido os fatos, e por isso, não podem participar”, declarou.

Outro ato para pressionar pela instalação da comissão está marcado para a próxima quarta-feira (3), na Rua Tutóia, onde funcionou o Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi). O local é apontado como um dos principais centros de tortura durante o regime militar.

CEB é condenada a indenizar por interrupção de serviços durante greve de funcionários

Sexta, 27 de abril de 2012
Do TJDF
A 3ª Turma Recursal do TJDFT modificou sentença do 2º Juizado da Fazenda Pública para condenar a CEB Distribuição S.A. a indenizar um consumidor, pela falha no fornecimento de energia elétrica em virtude de greve dos funcionários. A decisão foi unânime.

Aldo Rebelo defende o indefensável: os estádios desnecessários da Copa

Sexta, 27 de abril de 2012
Jorge Lima Valadão*
O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, voltou a dizer que não acredita que alguns estádios se tornarão elefantes brancos depois da Copa do Mundo de 2014. Ele foi questionado sobre essa possibilidade em uma teleconferência com jornalistas estrangeiros e disse que, pelo conceito estabelecido para as arenas, este risco não existe.

“Os estádios estão sendo concebidos com o conceito de arenas multiuso e economicamente sustentáveis, inclusive após a Copa. Diante disso, não vejo o risco de se tornarem elefantes brancos’’, disse Rebelo. Ele confia que os espaços, além de receber jogos de futebol, serão tomados por outras atividades, como shows musicais, congressos, feiras e eventos culturais diversos.

Esta é a versão oficial do governo, mas a realidade dos fatos é bem outra. Vários estudos, inclusive feitos por órgãos de fiscalização como o Tribunal de Contas da União, denunciam que quatro estádios correm o risco de virar elefantes brancos, exatamente como aconteceu na África do Sul – a Arena do Pantanal (Cuiabá), o Estádio Nacional Mané Garrincha (Brasília), a Arena das Dunas (Natal) e a Arena da Amazônia (Manaus).

247: inquérito do STF contra Demóstenes revela depósito de R$ 3,1 milhões

Sexta, 27 de abril de 2012
Do Brasil247

Exclusivo: 247 publica documento encaminhado na tarde desta sexta 27 pelo ministro Ricardo Lewandowski à CPI do Cachoeira e ao Conselho de Ética do Senado; segredo de justiça que agora não é mais; diálogos em profusão; confira

27 de Abril de 2012 às 17:41
Vassil Oliveira _247 - Sócio da construtora Delta, funcionário do contraventor Carlinhos Cachoeira e integrante de organização criminosa. É assim que o procurador-geral da República Roberto Gurgel se refere, em inquérito enviado nesta sexta-feira 27 pelo Supremo Tribunal Federal à CPI do Cachoeira e à comissão de Ética do Senado.

247 obteve com exclusividade a íntegra do inquérito. Há uma série de situações que ainda não haviam sido reveladas. Fica ainda mais clara a ligação entre a ORGCRIM, como a Polícia Federal se refere à Organização Criminosa, e o goverandor de Goiás, Marconi Perillo. Os grampeados falam em detalhes sobre a situação de diversos contratos da Delta Engenharia. De número 3.430, o inquérito deve resultar na cassação, pelo Senado, do mandato de Demóstenes. A autorização para a remessa do inquérito ao Congresso foi dada pelo ministro Ricardo Levandovski. Os dados poderão ser analisados também pela Comissão de Sindicância da Câmara dos Deputados, que investiga os parlamentares João Sandes Junior (PP-GO) e Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO), pelo envolvimento com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Cachoeira é suspeito de envolvimento com jogos ilegais e foi preso na Operação Monte Carlo, em fevereiro. A CPMI que leva seu nome investigará sua ligação com políticos e empresários.

Leia aqui a íntegra do inquérito elaborado pelo procurador-geral da República Roberto Gurgel.

Exclusivo! Cabral, Cavendish e secretários dançam na “boquinha da garrafa” no Hotel Ritz, em Paris

Sexta, 27 de abril de 2012
Do Blog do Garotinho

Eu sei que as pessoas vão se revoltar, mas enquanto sofriam no trem, no metrô ou nas barcas lotadas sendo tratados como gado, ou então amargavam nas filas de uma UPA sem atendimento, Cabral e seus amigos viajavam pelo mundo em “vôos da alegria”, pagos com o dinheiro público, fazendo farras, esbanjando.


Vou mostrar nesta postagem apenas as primeiras imagens para vocês terem noção do escândalo. Cabral seus amigos e secretários zombam do povo, das instituições, se comportam como uma dessas delegações de ditadores de republiqueta que vão para Paris torrar o dinheiro que roubam de seus países, e que se esbaldam, sem nenhuns modos pagando micos inacreditáveis depois de encherem a cara.


Observem abaixo, em duas fotos tiradas dentro do restaurante do Hotel Ritz, de Paris, Sérgio Côrtes, Fernando Cavendish e o secretário Wilson Carlos, mais duas pessoas que não identifiquei com guardanapos amarrados na cabeça, embriagados, dançando a música da “Boquinha da Garrafa” (segundo o depoimento de quem me enviou o material), debochando, rindo às gargalhadas, escandalizando certamente os milionários que freqüentam o refinado ambiente, e ainda por cima causando uma péssima imagem dos brasileiros. É um deboche total!


Sérgio Côrtes, Fernando Cavendish e Wilson Carlos dançando na boquinha da garrafa na maior galhofa em Paris
Sérgio Côrtes, Fernando Cavendish e Wilson Carlos dançando na boquinha da garrafa na maior galhofa em Paris

Nas fotos abaixo, na porta do Hotel Ritz, Cabral está eufórico junto com Cavendish agachado, os dois ainda em brincando em clima da Dança da Boquinha da Garrafa. Cabral está em casa, em Paris, levando vida de rei, esbanjando o dinheiro do povo em vinhos e champanhes de mais de US$ 1.000, numa verdadeira orgia com o dinheiro público que escandaliza e com certeza vai causar indignação.


Em clima da "boquinha da garrafa", Cabral e Cavendish dançam na porta do Hotel Ritz, enquanto os amigos caem na gargalhada
Em clima da "boquinha da garrafa", Cabral e Cavendish dançam na porta do Hotel Ritz, enquanto os amigos caem na gargalhada


Se vocês pensam que viram alguma coisa isso não é nada. Ainda hoje vamos mostrar Fernando Cavendish abraçado com Régis Fichtner, em Paris, o homem designado por Cabral para investigar os contratos da Delta com o Estado. Mais tarde vocês vão ver o secretário Wilson Carlos, na Avenida Champs Elysées, em Paris, posando para uma foto junto a uma Ferrari de US$ 1 milhão. E amanhã vocês poderão ver o vídeo onde Cabral combina com Fernando Cavendish na mesa de um bar, a data do casamento do empresário. Até domingo vamos mostrar aqui no blog o quanto Cabral e seus secretários são perdulários, irresponsáveis, nababescos. Aguardem!




Em tempo: Nas fotos em que aparece Cabral, atrás, de barba está o ex-secretário estadual de Fazenda, Joaquim Levy.

Revolta do 01 derruba João de Deus

Sexta, 27 de abril de 2012

Todo mundo sabe que em qualquer estrutura de poder há um chefe. Na estrutura de governo do DF temos 01. Na PM, temos o 01, que é seu comandante-geral. Não é diferente nem no Corpo de Bombeiros nem na Polícia Civil. E assim é também nas secretarias e nas administrações regionais.
 
Na Câmara Legislativa, também temos o 01, que é o deputado Patrício, presidente da Casa. No Ministério Público do DF, Eunice Carvalhido é a 01. No Tribunal de Justiça do DF,  foi o empossado o desembargador João Mariosi, que é o 01 daquela corte. Na Presidência da República, não temos o, mas temos a 01, que com 77% de popularidade comanda o nosso país.


Só que no caso da Operação Monte Carlo, as conversas gravadas pela Polícia Federal fazem referência a um 01 que todos dizem ser o governador do DF, Agnelo Queiroz. Até ai, nada demais. Ocorre, porém, que ele alega que 01 não é ele. Chegou a dizer que o 01 poderia ser até o Papa. Parece que ele não gostou muito dessa história de ser considerado o 01 dos referidos áudios revelados pelos grampos da Polícia Federal.
 
Pois não é que o 01 derrubou quem não tinha nada a ver com o grampo, com Cachoeira, com lixo ou bicho? Depois de apresentar por 17 anos o programa Na Trilha da Verdade, que ia ao ar todos os sábados na Rádio Atividade e era lider de audiência na programação daquela emissora, o ex-distrital João de Deus (PDT), atual prefeito de Água Fria (GO), teve seu programa retirado do ar.

Escute aqui parte da última edição, repare nos temas das conversas e tire suas próprias conclusões
= = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =
Comentário do Gama Livre: A dispensa de João de Deus teria sido influenciada, por acaso, pela verba de publicidade paga à emissora de rádio? Essa emissora recebeu, segundo o DODF, no primeiro trimestre deste ano, 18,3% de toda a verba destinada à publicidade em rádio.

Em março, governo teve o maior gasto da história com pagamento de juros

Sexta, 27 de abril de 2012

Do Estadão.com.br

Gastos com juros nas contas do setor público somaram R$ 21,037 bilhões no mês passado, de acordo com o Banco Central

Fernando Nakagawa e Adriana Fernandes, da Agência Estado
Os gastos com juros nas contas do setor público em março somaram R$ 21,037 bilhões, o maior valor da história. Essa quantia corroeu toda a economia que o governo tinha feito anteriormente, o que resultou em um déficit nominal de R$ 10,595 bilhões no mês. O dado foi divulgado pelo Banco Central, nesta sexta-feira, 27, e mostra que o esforço para o pagamento de juros da dívida, o chamado superávit primário, foi insuficiente para pagar a dívida junto aos detentores de títulos brasileiros. Leia a íntegra no Estadão

O PT, Collor e um passado que condena

Sexta, 27 de abril de 2012
Alex Ferraz*
Enquanto me dirigia para esta folha [Tribuna da Bahia], ontem de manhã, ouvia, como sempre, o genial Ricardo Boechat na Bandnews FM. E ele descia o malho na atitude boçal, prepotente e reacionária do senador Fernando Collor de Mello, ex-presidente posto para correr pelas chamadas forças populares, nos idos de 1992 (estive nas ruas, inclusive. Só não pintei a cara...). Ocorre que Collor, inexplicavelmente alçado a escudeiro do governo petista na CPI do Cachoeira, culpou a imprensa pela situação vexatória em que se veem envolvidos parlamentares ligados ao contraventor e disse que tudo fará para evitar que “certo tipo de imprensa” tenha acesso a informações da CPI. Um boçal, sem dúvida.

Bravatas à parte, o que me chamou mais a atenção no comentário do Boechat foi a sua oportuníssima colocação a respeito da relação Collor/PT. E faço minhas suas palavras quando ele diz ser difícil de entender que um governo dito de esquerda, composto por pessoas que em 1992 capitanearam os protestos que culminaram na saída de Collor do Planalto, hoje tenham exatamente neste indivíduo, que chefiou um dos mais corruptos governos deste país (se é que é possível mensurar a corrupção neste mar de lama), um aliado de primeira linha.

Mas, caro Boechat, não me espanta muito a situação. Afinal, nos três mandatos que ocupa até agora, os governos petistas jamais abriram mão de uma misteriosa e indissolúvel aliança com José Sarney, sabidamente o que há de mais retrógado na política brasileira. “Estratégias”, dirão os petistas, enquanto o coronelismo e a corrupção seguem como dantes, neste viciado quartel da Abrantes.

*Fonte: Coluna Em Tempo - Tribuna da Bahia

Fim à escravidão no Brasil

Sexta, 27 de abril de 2012
Apelo da Avaaz.org pelo fim da escravidão

Caros amigos do Brasil,



Em poucos dias, o Congresso pode votar uma histórica reforma constitucional que pode punir pessoas que mantenham escravos e confiscar terras onde forem encontradas pessoas escravizadas para reforma agrária. Agora é hora de agir, e garantir que o Brasil se ergua enquanto um país livre de escravos. Assine a petição abaixo e a Avaaz irá entregá-la para o Presidente da Câmara dos Deputados:

Em poucos dias, o Congresso pode votar uma histórica reforma constitucional que pode punir pessoas que mantenham escravos e confiscar terras onde forem encontradas pessoas escravizadas para reforma agrária. É a legislação mais forte que já propuseram para lutar contra o flagelo do trabalho escravo no Brasil.

É inaceitável que, no século 21, o horror da escravidão ainda assombra todos os cantos do país -- à medida que centenas de milhares pessoas são escravizadas atualmente. No mês passado, adultos e crianças foram resgatados de uma fazenda cujo proprietário era um deputado estadual! Eles moravam em pequenas barracas e bebiam da mesma água suja que as vacas e outros animais.

Agora é hora de agir. Nosso protesto em todo o país pode forçar o Congresso a fazer os donos de fazenda pagarem o preço por torturarem ou escravizarem seus concidadãos. Clique abaixo para se juntar e construir um protesto ensurdecedor antes da Avaaz se reunir pessoalmente com o Presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, para entregar nossa mensagem:

http://www.avaaz.org/po/stop_slavery_in_brazil/?vl

Os livros escolares nos ensinam que a escravidão foi abolida há 124 anos pela princesa Isabel, mas a verdade é que ainda hoje há pessoas que vivem na escravidão -- os mais pobres de nós são levados a acreditar em empregos prósperos, mas acabam arriscando suas vidas em plantações de cana-de-açúcar, carvoarias, criação de gado, prostituição e outras atividades. Muitas vezes eles são literalmente forçados a trabalhar com uma arma apontada para suas cabeças.

Uma chave para acabar com a escravidão está prestes a ser entregue ao Congresso. Vamos abafar o lobby dos ruralistas, que querem acabar com essa PEC, e aumentar o coro retumbante para derrotar o vergonhoso mercado da escravidão do Brasil de uma vez por todas. Assine a petição e encaminhe para todos:

http://www.avaaz.org/po/stop_slavery_in_brazil/?vl

Cada vez mais, vemos que o poder popular pode fazer o impossível. A escravidão é uma crise que afeta todo o planeta e temos uma chance de encabeçar a abolição. O Congresso deu o primeiro passo, agora podemos ajudar a alcançar um Brasil livre de escravos.

Com esperança,

Pedro, Emma, Diego, Laura, Carol, Ricken e toda a equipe da Avaaz

Mais informações:

Governo quer votar PEC do Trabalho Escravo até 13 de maio (Rede Brasil Atual)
http://www.redebrasilatual.com.br/temas/politica/2012/03/governo-quer-votar-pec-do-trabalho-escravo-ate-13-de-maio

Governo pede agilidade na votação de projeto sobre trabalho escravo (Folha de São Paulo)
http://www1.folha.uol.com.br/poder/1061665-governo-pede-agilidade-na-votacao-de-projeto-sobre-trabalho-escravo.shtml

Crianças bebiam água do gado em fazenda de deputado flagrada com escravos (Repórter Brasil)
http://www.reporterbrasil.org.br/exibe.php?id=2040

Comissão: 40 mil foram resgatados da escravidão no Brasil desde 1995 (Terra)
http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5718577-EI306,00-Comissao+mil+foram+resgatados+da+escravidao+no+Brasil+desde.html

PEC do trabalho escravo é prioridade para governo (Congresso em Foco)
http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/reportagens-especiais/pec-do-trabalho-escravo-e-prioridade-para-governo/

Debate da PEC 438/2001 contra o Trabalho Escravo (e-Democracia)
http://edemocracia.camara.gov.br/web/contra-o-trabalho-escravo/inicio