Imprensa é oposição. O resto é armazém de secos e molhados."

(Millôr Fernandes)

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Aqui não aconteceu nada


Abril

26

Aqui não aconteceu nada


Aconteceu em Chernobyl, na Ucrânia, em 1986.

Foi a mais grave catástrofe nuclear padecida pelo mundo até aquele momento, mas os pássaros que fugiram e as minhocas que afundaram debaixo da terra foram os únicos que informaram a tragédia desde o primeiro instante.

O governo soviético baixou ordem de silêncio.

A chuva radioativa invadiu boa parte da Europa e o governo continuava negando ou silenciando.

Um quarto de século depois, em Fukushima, explodiram vários reatores nucleares e o governo japonês também calou ou negou as versões alarmistas.

Razão, quem tinha era o veterano jornalista inglês Claude Cockburn, quando aconselhava:

— Não acreditem em nada até que seja oficialmente desmentido.

Eduardo Galeano, no livro Os filhos dos dias (Um calendário histórico sobre a humanidade), 2ª Edição, L&PM Editores, 2012, página 140.

======================

Leia também: 

Desastre de Chernobyl foi há 30 31 anos

terça-feira, 25 de abril de 2017

Decreto abre processo administrativo contra a OS Pró-Saúde

Terça, 24 de abril de 2017
Do site Ataque aos Cofres Públicos

Documento fala em, precariedade, ineficiência na prestação de serviços e alta na taxa de mortalidade. 
prosaude-decreto
Mais um passo foi dado para concretizar a saída da Organização Social Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar (Pró-Saúde) de Uberaba, em Minas Gerais.

A OS, que administra duas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), agora é alvo de processo administrativo que visa investigar problemas no atendimento e na eficiência dos serviços. Foi publicado no último dia 20, pela Prefeitura ,o decreto municipal que dispõe sobre o assunto.

Após protesto, indígenas terão reunião com presidente do Senado

Terça, 25 de abril de 2017
Paulo Victor Chagas - da Agência Brasil


Brasília - Índios fazem manifestação na Esplanada dos Ministérios (Marcelo Camargo/Agência Brasill)
Índios fazem manifestação em
frente ao Congresso Nacional
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Após protesto em frente ao Congresso Nacional que terminou em confronto com a polícia nesta terça-feira (25), indígenas que estão em Brasília contra o retrocesso de direitos terão um encontro amanhã (26) com o presidente do Senado, Eunício Oliveira, para apresentar suas reivindicações. O assunto também será tema de audiência pública na Comissão de Direitos Humanos do Senado nesta quarta-feira.

Justiça aceita denúncia contra 59 investigados na Operação Carne Fraca;

Terça, 25 de abril de 2017
Ivan Richard Esposito - da Agência Brasil
A Justiça Federal no Paraná aceitou hoje (25) as cinco denúncias apresentadas pelo Ministério Público Federal contra 59 investigados no âmbito da Operação Carne Fraca, deflagrada em março pela Polícia Federal (PF). Com isso, os fiscais agropecuários, empresários do ramo frigorífico e outros integrantes do esquema tornam-se réus e terão dez dias para apresentar defesa.

MPF pede retorno de Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral, para prisão preventiva

Terça, 25 de abril de 2017
PRR2 pede retorno de Adriana Ancelmo para prisão preventiva
Do MPF
Dificuldade para fiscalizar regime domiciliar prejudica investigação. Parecer da PRR2 será julgado nesta quarta-feira (26) pelo TRF2

O Ministério Público Federal (MPF) pediu ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) que determine o retorno de Adriana Ancelmo para a prisão preventiva. Investigada na Operação Calicute, a ré foi denunciada por corrupção e lavagem de dinheiro na organização criminosa liderada por seu esposo, o ex-governador Sérgio Cabral. Ancelmo cumpre atualmente prisão domiciliar concedida pela 7ª Vara Federal Criminal, sob a alegação de que a acusada tem filhos menores de 12 anos.

TJDFT DECLARA INCONSTITUCIONALIDADE DE LEI E ALTERA ATRIBUIÇÕES DA ADASA

Terça, 25 de abril de 2017
Do TJD
O Conselho Especial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios julgou procedente a ação e declarou a inconstitucionalidade da Lei Distrital nº 5.764/16, que trata sobre a administração, a proteção e a conservação das águas subterrâneas de domínio do Distrito Federal, e transferiu para a Secretaria de Meio Ambiente do DF as atribuições que anteriormente cabiam à Agência de Águas e Esgotamento Sanitário – ADASA/DF.
A ação foi ajuizada pelo MPDFT, que alegou, em breve resumo, que a norma seria formalmente inconstitucional, pois teria violado a competência privativa do Governador do Distrito Federal para legislar sobre a administração, a proteção e a conservação das águas subterrâneas de domínio do Distrito Federal. Segundo o MPDFT, a transferência das atribuições, proporcionada pela lei atacada, teria gerado aumento indevido de despesas e violado o princípio da separação dos poderes.
A Câmara Legislativa do Distrito Federal defendeu a constitucionalidade da lei e afirmou que o intuito da mesma era apenas proteger o meio ambiente e os recursos hídricos do DF, e que não ocorreu invasão da competência do Chefe do Executivo.
O Governador, a Procuradoria-Geral do Distrito Federal e o MPDFT opinaram em sentido contrário, pela inconstitucionalidade da norma.
Os desembargadores entenderam pelo reconhecimento da inconstitucionalidade da norma, com incidência de efeitos retroativos à sua data de publicação.


STF decide que goleiro Bruno deve voltar à prisão imediatamente

Terça, 25 de abril de 2017
Felipe Pontes - da Agência Brasil
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (25) que o goleiro Bruno de Souza deve voltar de imediato para a prisão em regime fechado. Ele se encontra em liberdade desde o dia 25 de fevereiro, quando foi beneficiado por uma decisão liminar (provisória) do ministro Marco Aurélio determinando sua soltura.

Lava Jato: Trabalho da força-tarefa ameaçado

Terça, 25 de abril de 2017

A proposta é da subprocuradora Raquel Dodge, que deve concorrer à vaga de Janot na eleição que será realizada em julho.
 
Fontes:
Correio Braziliense/Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil
Blog do Sombra
 
Janot se disse perplexo com os rumos no Conselho Superior do MP 
 
Uma sessão de votação do Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF), em que possíveis impactos à Lava-Jato estiveram no centro da discussão, foi interrompida por um pedido de vista do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Por 8 votos a 1, a maioria do alto colegiado do MPF caminhava para aprovar uma resolução que limita o recrutamento de procuradores para forças-tarefas e cargos da Procuradoria-Geral da República (PGR).
 
A proposta é da subprocuradora Raquel Dodge, que deve concorrer à vaga de Janot na eleição que será realizada em julho. A proposta, segundo Dodge, visa não sobrecarregar as procuradorias que cedem pessoal, mas ainda estão sendo discutidas possíveis regras de transição e de blindagem aos grupos de trabalho já existentes, propostas em dois substitutivos (novas versões) do texto original.
 
A regra, que já tem maioria para aprovação, estabelece que nenhuma unidade possa ceder mais do que 10% do seu quadro total de procuradores. Ontem, foram apresentados os substitutivos que podem preservar de impacto os grupos de trabalho já montados e podem dar um prazo de transição até o dia 3 de janeiro para a adaptação das unidades recrutadoras que teriam de devolver procuradores.
 
Janot, dizendo-se “perplexo” com os rumos que a discussão estava tomando antes da possível flexibilização da regra, afirmou que isso, sim, afetaria negativamente o grupo de trabalho da Lava-Jato na PGR e outros criados com integrantes de outras procuradorias. Mas disse ver com “conforto” o que chamou de “recuo do colegiado”.
 
“Esse discurso de que não vai afetar a Lava Jato é um discurso que tem de ser recebido com muita ponderação, porque, na verdade, ninguém, a não ser aqueles que participam da investigação, ninguém conhece a complexidade, o alcance, a dimensão do que representa essa investigação. Portanto vejo com mais conforto o recuo do colegiado no que se refere às exceções, aos critérios de transição, à flexibilização, e com o intuito de colaborar, como são duas propostas de substitutivo global, peço vista para aqui analisá-las”, disse o procurador-geral. O único voto contra a resolução é de José Bonifácio de Andrada, vice-procurador-geral da República.
 
Recurso
O recrutamento de procuradores de outras unidades é um recurso amplamente utilizado para compor grupos de trabalhos relacionados a operações. Só no grupo de trabalho da Lava-Jato na PGR, por exemplo, há nove procuradores cedidos por outras unidades. Dos nove, sete poderiam ter de retornar às unidades originais caso a resolução não inclua uma blindagem aos grupos de trabalho já existentes.
 
Apenas dois desses, por serem do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, estariam livres da hipótese de serem devolvidos. Mas uma devolução não seria incondicional e automática: só ocorreria com os procuradores de unidades que tiverem mais de 10% de seu quadro comprometido com o empréstimo para outras procuradorias. Nesse caso, haveria o retorno. Se o colegiado resolver preservar os grupos de trabalho já montados, nenhum deles precisaria retornar.
 
Há várias coordenadorias e secretarias da própria PGR que contam com pessoal cedido por outras unidades do Ministério Público Federal. Esses outros procuradores, em tese, não seriam contemplados nem mesmo pela blindagem às forças-tarefas de operações já em andamento. Contra a resolução como um todo, Janot fez uma comparação com a mudança de combustível de uma nave espacial, ao afirmar que “é óbvio que, quando você mexe numa estrutura como um todo, isso interfere sim no seu trabalho”.“Essa é uma questão que envolve inequivocamente o conflito de interesses entre vários membros da instituição, envolve o conflito de interesses entre unidades da instituição e inclusive o gabinete do procurador-geral da República”, acrescentou Janot.
 
Fortalecimento
Autora da resolução, a subprocuradora-geral da República Raquel Dodge é uma das candidatas à sucessão de Janot na PGR. Ela fala que essas novas regras poderão trazer um fortalecimento de outras unidades do Ministério Público Federal. E que não há impacto negativo na Lava-Jato.
 
“A ideia é garantir um número mínimo em cada procuradoria. Se for eu a procuradora-geral, acatarei resolução. Acho que acataria com muita tranquilidade porque acho que é possível recrutar colegas de várias unidades”, disse a subprocuradora.
 
Raquel disse que a ideia da resolução veio de manifestações da Procuradoria da República no Distrito Federal (PR-DF) e na Procuradoria Regional da República na 1.ª Região (PRR-1). “Todos passaram no mesmo concurso. Acho que é regra clara, precisa estar posta”, comentou.

Jucá, o tricoteiro de quatro agulhas

Terça, 25 de abril de 2017
Presidente do PMDB, principal articulador de Michel Temer no Congresso e uma das estrelas da Lava Jato, Romero Jucá defende uma transição no lugar do extermínio da classe política encurralada pelo maior escândalo de corrupção da história

Da Pública —Agência de Reportagem e Jornalismo Investigativo

O senador Romero Jucá Filho é um homem ligeiro, com um quê de hiperatividade, que veste sempre ternos bem cortados. A gravata costuma ser um modelo slim que o deixa com uma aparência mais jovem que os seus 62 anos. Tem os olhos ariscos. Ao longo dos anos, ele desenvolveu uma particular habilidade de falar ao mesmo tempo com diferentes interlocutores sobre os mais variados assuntos.

Na manhã da primeira quarta-feira de abril, em seu gabinete no subsolo do Senado, em Brasília, o senador começava o dia em meio a inúmeros telefonemas, rápidos encontros em sua sala e despachos com os assessores. Dali a pouco iria para o Palácio do Planalto para um almoço convocado de última hora pelo presidente Michel Temer.

Quando finalmente se sentou à sua mesa, passando em revista os compromissos que ainda teria no dia – encontro com um economista de um banco americano para tratar da reforma da Previdência, reunião com senadores no gabinete de Aécio Neves, uma conversa com o relator da reforma política na Câmara, a posse simbólica de seu pupilo e substituto no Ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira, além de um encontro com prefeitos de Roraima que estavam em Brasília –, ele disse qual era o seu tipo ideal de político:

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Deputado distrital Cristiano Araújo é condenado por improbidade por prática de nepotismo

Segunda, 24 de abril de 2017
 Cristiano Araújo, PSD. Foto CLDF

Do TJDF
O Juiz da 3ª Vara de Fazenda Pública do Distrito Federal julgou parcialmente procedentes os pedidos do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios e condenou o deputado distrital Christhianno Nogueira Araújo e sua parente por afinidade, Ana Lúcia Pereira de Melo, pela prática de atos de improbidade administrativa (nepotismo) e, ainda, determinou para o parlamentar: o ressarcimento de forma integral do dano causado; pagamento de multa civil no valor do dano; perda da função pública, caso ainda exercida; e à suspensão de seus direitos políticos pelo prazo de cinco anos. Para a ré Ana Lúcia, o magistrado determinou o ressarcimento integral do dano; pagamento de multa civil; e perda da função pública, se ainda a exerça.

Lava Jato: STJ recebeu hoje (24/4) os pedidos de investigação contra Fernando Pimentel, governador de Minas, e Marcelo Mirando, do Tocantins

Segunda, 24 de abril de 2017
Do STJ

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu nesta segunda-feira (24) as primeiras duas sindicâncias oriundas das delações da construtora Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que têm como alvo governadores com prerrogativa de foro na corte. Ambas tiveram o sigilo levantado ainda no Supremo Tribunal Federal (STF).

PSOL protocola ação no STF para reverter votação da urgência da reforma trabalhista

Segunda, 24 de abril de 2017
Da Liderança do Psol na Câmara dos Deputados

Proposta está na pauta desta semana e significa perda de direitos para os trabalhadores brasileiros. PSOL irá obstruir.

O PSOL protocolou nesta segunda-feira (24) no Supremo Tribunal Federal (STF) Mandado de Segurança para reverter a aprovação da urgência do projeto que trata da reforma trabalhista, ocorrida na noite da quarta-feira (19).

Foi mais uma manobra da Presidência da Câmara com aval do governo federal.

O Brasil está em um ponto morto da história. E nada se sabe do futuro

Segunda, 24 de abril de 2017

As forças progressistas estão encurraladas e o golpe de 2016 se esgota em si, incapaz de indicar o caráter do ciclo político que virá

 

Temer: seu governo busca apenas reescrever a Constituição
A História tem suas ‘eras’ e a política, como a economia, tem seus ciclos, e todo ciclo tem, na sequência de sua construção, seus momentos de apogeu e declínio. Vivemos o “ponto morto” entre um ciclo que se esvai e um ciclo sucessor, ainda sem face.
A crise política que alimentou o golpe midiático-parlamentar-judicial iniciado em 2016 assinala, na História republicana, o esgotamento de um ciclo político, aquele inaugurado com a “Constituição cidadã”, fruto do pacto social que possibilitou, em 1985, a transição da ditadura para o regime democrático tutelado, porque nele o poder decaído sobreviveria, por algum tempo, em contraste com os processos de redemocratização de nossos vizinhos, de especial Argentina e Uruguai.
São os “anos Sarney” aquele período conhecido como “Nova República”, fruto da implosão do Colégio Eleitoral com a eleição de Tancredo Neves e a posse do ex-presidente da Arena, partido de sustentação do regime militar decadente. Simbolicamente, o último ditador – tão impopular quanto Temer hoje – deixaria o Palácio do Planalto pela garagem, ou seja, “pela porta dos fundos”. Mas a preeminência castrense sobreviveria.

MPF lança publicação com detalhamento de ações penais de crimes cometidos durante a ditadura

Segunda, 24 de abril de 2017

Arte: Secom/PGR


Do MPF
O Ministério Público Federal (MPF) lança, nesta segunda-feira (24), a publicação “Crimes da Ditadura Militar”. Trata-se da segunda edição do relatório com o resumo das atividades dos cinco anos de trabalho de investigações e ações penais sobre as violações a direitos humanos cometidas durante o regime militar. Com quase 350 páginas, a publicação busca cumprir o dever de contribuir para a justiça, a memória e a verdade sobre esse período histórico.

Cristiano Araújo é condenado à perda do mandato por nepotismo

Segunda, 24 de abril de 2017
Decisão da Justiça se refere ao caso em que o deputado nomeou, em 2015, a mulher de um tio para o próprio gabinete

Fontes:
Por Pedro Alves-Michael Melo/Metrópoles
Blog do Sombra
O deputado distrital Cristiano Araújo (PSD) foi condenado à perda do mandato, nesta segunda-feira (24/4) por improbidade administrativa ligada à prática de nepotismo. O deputado é acusado de, em 2015, ter nomeado a mulher de um tio para o próprio gabinete. Ainda cabe recurso da decisão.
 
A determinação é do juiz Manoel Eduardo Pedroso Barros, da 3ª Vara de Fazenda Pública do DF. Além da perda da função pública, o distrital também foi condenado suspensão dos direitos políticos por cinco anos. Deve ainda ressarcir integralmente os danos aos cofres públicos relacionados à contratação da parente e pagar multa civil no mesmo valor do prejuízo ao erário.


============
Leia também:

Deputado distrital Cristiano Araújo é acusado de nepotismo pelo MPDF

 

Não há lista do fim do mundo, há uma lista dos que apodrecem o Brasil

Segunda, 24 de abril de 2017

E saiu a tal da "lista do fim do mundo", expressão que deve caber pra eles e para quem vive num mundo que gira em torno deles. Meu mundo não é o deles, portanto pra mim é uma lista dos que cometeram crimes - à direita e à esquerda - contra a administração pública e devem receber as punições como mandam as leis. Claro que alguns dos eleitores que os elegeram - e mentiram com eles e sacanearam concorrentes fazendo o serviço sujo deles - não fazem a necessária e corajosa autocrítica e agora seguem berrando "todo político é ladrão"... e eu respondo rapidinho, "ladrão é você e a corriola que você ajudou a eleger." Assim sendo, em Alagoas e em todo Brasil, o mundo não vai acabar por causa disso, apenas segue com menos impunidade (pelas mãos limpas de muitos no Judiciário, MP, PF, etc) e espero que chegue o dia em que a maioria dos eleitores - de forma bela e livre - ajudem nas urnas a combater a vergonhosa impunidade e assim ajudar a construir verdadeiramente um mundo novo!

Fonte: Facebook de Heloisa Helena

domingo, 23 de abril de 2017

Até o teólogo Leonardo Boff anuncia ter desistido de apoiar Lula e o PT

Domingo, 23 de abril de 2017
Da Tribuna da Internet
Fabio Sena
Diário Conquistense
 
 Boff diz que só apoia a Teologia da Libertação

As mais recentes delações premiadas – muitas das quais fragilizaram bastante a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – acendeu a luz vermelha na esquerda brasileira e muitos teóricos como o teólogo Leonardo Boff, antes ferrenho defensor de Lula, parecem ter sido atingidos no coração pelas revelações de empresários como o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, e do todo-poderoso Emilio Odebrecht.

No Centro do Gama, fralda em lixeira furada. É tão difícil substituir as lixeiras? Elas, furadas, vararam os governos Agnelo e Rollemberg

Domingo, 23 de abril de 2017

 Ao fundo, a 14ª DP. As fotos são do dia 21 de abril, por volta das 14 horas. Clique nas imagens para ampliá-las e ver que 'o buraco' é uma vergonha.

 As lixeiras furadas, como outras várias existentes no Setor Central do Gama, estão próximas ao Banco Itaú e à 14ª Delegacia de Polícia. Bem pertinho do tal bueiro com tampa ecológica (assinalada pela sete amarela) da postagem anterior.


O que adianta coloca o saco de lixo como se fralda fosse? O buraco é 'mais embaixo'. E o lixo continua caindo no chão. 



Memória das lixeiras furadas do Setor Central do Gama:

Governos furados. No Gama, lixeira passou "arrombada pela ferrugem" do governo Agnelo para o de Rollemberg Quarta, 6 de abril de 2016

Mantenha a cidade limpa. Mas com lixeira furada no centro do Gama/DF? Sábado, 4 de outubro de 2014

No Centro do Gama, bueiro com tampa 'ecológica' perde 'pau de sinalização' e continua colocando em risco quem por ele passa

Domingo, 23 de abril de 2017

Essa coisa horrorosa aí acima já tem muito tempo colocando em risco pedestres no Setor Central do Gama, DF. A tampa poderia ser ironicamente chamada de ecológica. Mas o bueiro é um perigo para a integridade física de quem passa pelo local, apesar de estar a apenas 230 metros da sede da Administração Regional da cidade. Observe a sujeira, cabo de vassoura, sacos, copos colher de plásticos, e até uma trouxinha que Deus sabe lá de que é.

Dê um clique sobre as imagens para ampliá-las e você poder ver melhor essa vergonha.

A imagem abaixo foi publicada em postagem aqui mesmo do Gama Livre, em 6 de abril deste ano. A 'tampa ecológica' ainda não estava quebrada, mas nada ou quase nada protegia os pedestres. Havia, pelo menos, é verdade, um 'pau de sinalização'.

Ah! É aí pertinho, não mais do que 10 e 20 metros que também há, faz muito tempo, lixeiras furadas, isto é, que não servem para nada.

Arborecídio em logradouros públicos do Gama-DF

Domingo, 23 de abril de 2017
Matança na Praça do Cine Itapuã

Por Vicente Vecci*

Sites e blogs das redes sociais baseados no Gama tem noticiado com fotos, diversos crimes ambientais que tem acontecido ultimamente nos logradouros públicos dessa cidade satélite do DF, atingindo áreas da Quadra 46  do Setor Central, Espaço  em frente à Quadra 2 do Setor Sul e  praça do Cine Itapoã (foto). Nesses locais foram desmatadas árvores  antigas como a espécie  Guapuruvú, árvore símbolo do estado de Sta Catarina, ipês que simbolizam  as árvores brasileiras, pau-ferro (conhecido como jucá), Jamelão, angico, pata de vaca,  entre outras.

Essas derrubadas  vem tipificar crime ambiental contra a nossa flora, conforme  reza a Lei Federal 9.605/98 artigo 49, regulamentada pelo decreto nº 6.514, de 22 de julho de 2008, que é bem claro: É crime  destruir, danificar, lesar ou maltratar, por qualquer modo ou meio, plantas de ornamentação de logradouros públicos ou  em propriedade privada alheia.

Já o artigo 225 da Constituição da  República  Federativa do Brasil, dá respaldo de proteção ao meio ambiente, incluindo essas áreas, e diz: 

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.

Daí então é público e notório que a matança dessas árvores   sob pretexto de benfeitorias públicas não essenciais, implementadas pelo GDF, agride  nossa comunidade e o meio ambiente.
 Matança na área verde da Quadra 46 do Setor Central do Gama
O Gama foi projetado  pelo renomado arquiteto Paulo Hungria e sua arquitetura tem forma de um alvéolo de colmeia.Tem distâncias encurtadas e suas quadras residenciais e comerciais são harmonizadas com áreas verdes e espaço de circulação.

Agora, quando se elimina árvores, elimina-se também à geração de oxigênio.

Quando  retira-se vegetação e impõe concreto, impermeabiliza-se o solo, vedando à infiltração das águas pluviais provenientes da chuvas que deixam de suprir o lençol freático, prejudicando nascentes.

Com a palavra o MPDFT  através da PRODEMA- Promotoria de Defesa do Meio Ambiente, ou teremos que abraçar essas árvores para não serem mortas.

*Vicente Vecci edita em Brasília-DF há 33 anos o Jornal do Síndico-www.jornaldosindicobsb.com.br e-mail sindico@jornaldosindicobsb.com.br
É  titular da unidade da Geoambiente para o DF e Região Metropolitana e da ONG Defesa Ambiental.

===============
Leia também:

Matança I no Gama. É o governo mãos de tesoura eliminando o verde

Matança II no Gama. É o governo mãos de tesoura eliminando o verde e a qualidade de vida

Matança III no Gama. É o governo mãos de tesoura eliminando o verde e a qualidade de vida

Dia do Choro celebra 120 anos de Pixinguinha e 100 anos de Carinhoso

Domingo, 23 de abril de 2017

===========
Vitor Abdala - da Agência Brasil

Os cariocas comemoram hoje (23) o Dia Nacional do Choro com várias atividades pela cidade do Rio de Janeiro. Neste ano, serão feitas homenagens ao compositor Alfredo da Rocha Vianna, o Pixinguinha, que completaria hoje 120 anos, e ao centenário de sua mais famosa canção, Carinhoso, composta em parceria com Braguinha.

No Rio de Janeiro, hoje (23/4) é dia de Jorge, o Ogum

Domingo, 23 de abril de 2017

Jorge da Capadócia - Jorge BenJor 

**************

Apesar da chuva, milhares de fiéis homenageiam São Jorge no Rio de Janeiro

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil
Milhares de fiéis visitam esta manhã a Igreja de São Jorge, no centro do Rio de Janeiro, para prestar homenagens ao santo, apesar da chuva na cidade. Popular tanto entre católicos quanto entre umbandistas, São Jorge é um dos símbolos do sincretismo religioso no Brasil.

Estudo que defendeu Centrad na gestão Rollemberg foi considerado peça de lobby e motivou demissão de seu autor

Domingo, 23 de abril de 2017
Extinta pasta de Gestão Administrativa afirmava que GDF economizaria recursos com mudança, mas Secretaria de Planejamento contestou cálculos
 
Por Lilian Tahan e Manoela Alcântara/Giovanna Bembom/Metrópoles
 
O governo de Rodrigo Rollemberg (PSB), que hoje tenta evitar qualquer manifestação pró-Centro Administrativo do DF (Centrad), já teve quem o defendesse oficialmente. Uma nota técnica obtida pelo Metrópoles e assinada por três servidores da extinta Secretaria de Gestão Administrativa e Desburocratização (Segad) orientava, em 2015, a mudança imediata de 13 mil servidores para o endereço em Taguatinga — empreendimento que, agora se sabe, foi erguido sob os pilares da corrupção.
 
Logo após ser apresentado, no entanto, o documento foi questionado pela secretária de Planejamento, Leany Lemos, e desconsiderado. Desconfia-se que o autor do estudo tenha feito lobby e atuado em favor do consórcio formado pelas empresas Odebrecht e Via Engenharia para erguer o complexo.

Leia a íntegra aqui ou aqui 

===========
Comentário do Gama Livre: Precisa ser pouco atento para as coisas que acontecem no Distrito Federal para não saber —na pior das hipóteses, não desconfiar— que por baixo (e por cima e pelo meio) das "grandes" obras corria um amazônico rio de propinas, de corrupção.

Se no Cetrad há um volumoso mar de corrupção, no elefante branco chamado Mané Garrincha se joga, quando se joga, em cima de um piso de grama também de propinas.

E no VLP, Veículo Leve sobre Pneus —que para sofisticar chamam pernosticamente de BRT (Bus Rapid Transit), que de rápido, eficaz, eficiente, muita coisa não tem— aquelas geringonças com motor na frente e a maioria dos passageiros se espremendo em pé, corre sobre uma via recheada de propinas e negociatas.

É a propina, irmão! 

sábado, 22 de abril de 2017

Bonito, Rollemberg! No aniversário de Brasília —e também neste sábado— a Clínica Médica do Pronto Socorro do HRG ficou sem médico.

Sábado, 22 de abril de 2017
 Foto: arquivo Gama Livre, 17/4/2017

Coisa feia, Rollemberg! No aniversário de Brasília, ontem (21/4), o seu governo deixou a clínica médica do Pronto Socorro do HRG sem médico. E repetiu a dose hoje, sábado (22/4). Quem, doente, recorreu ao serviço, recebeu a recomendação que fosse procurar atendimento no entorno Sul de Brasília. No estado de Goiás.

Coisa feia, moço!

Feia, não. Horrorosa!

Ah! Quem mandou substituir a porta da entrada para os boxes da clínica com uma 'muralha' de ferro? Porta de metal significa medo? Medo do nosso povo?

Justiça: GDF terá que remover invasões na Cidade Estrutural

Sábado, 22 de abril de 2017
Do Blog Brasília, por Chico Sant'Anna

Falta de fiscalização fez crescer a invasão na Chácara
Santa Luzia. Foto de Chico Sant’Anna.

Justiça manda o GDF remover invasões na Cidade Estrutural e proteger áreas próximas ao Parque Nacional de Brasília.


Por Chico Sant’Anna
Clima de apreensão toma conta dos moradores da Cidade Estrutural. Sentença proferida pelo Juiz Carlos Frederico Maroja de Medeiros, da Vara de Meio Ambiente, Desenvolvimento Urbano e Fundiário do Distrito Federal, determina a remoção de moradias em diversas áreas hoje ocupadas por residências na Estrutural e o cercamento e a recuperação florestal das Áreas de Relevante Interesse Ecológico da Vila Estrutural e do Córrego Cabeceira do Valo, além do Parque Urbano Vila Estrutural. A sentença, ainda de primeira instância, foi proferida no âmbito da Ação Civil Pública 2015.01.1.057244-4, movida, há dois anos, pelo Ministério Público contra o Distrito Federal, a Companhia Imobiliária de Brasília – Terracap, o Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Distrito Federal (IBRAN) e o Departamento de Estradas e Rodagem do Distrito Federal (DER-DF).

A recuperação florestal dar-se-á por meio do plantio e a manutenção de, no mínimo, duzentas mil mudas de árvores nativas do cerrado, para a recomposição de vegetação nas Aries do Córrego Cabeceira do Valo e na da Vila Estrutural e no Parque Urbano Vila Estrutural. Ao DER-DF caberá a desconstituição integralmente da rodovia DF-097, que margeia o Parque Nacional de Brasília. Foi imposta a remoção da pavimentação asfáltica, lixos e entulhos ali encontradiços, bem como a recuperação ambiental no seu traçado, com no prazo de noventa dias, sob pena de multa no valor de R$ 1 milhão por mês.

Leia a íntegra no Brasília, por Chico Sant'Anna
************


As áreas demarcadas em vermelho e amarelo deverão
ser desocupadas e cercadas. O mesmo deve ocorrer
com a área do Parque da Estrutural, demarcado em
marrom, A linha verde representa a rodovia DF-097
que deverá ser desconstituída e ter a vegetação recuperada.

Delator relata caixa 2 para Lupi defender privatização do setor de água e esgoto

Sábado, 22 de abril de 2017
Do Blog do Sombra
De acordo delator Fernando Reis, ex-presidente da Odebrecht Ambiental, foram doados R$ 400 mil para para Carlos Lupi, presidente do PDT
 
Por G1 Reprodução/Divulgação/Agência Brasil
O delator Fernando Reis, ex-presidente da Odebrecht Ambiental, disse em seu depoimento que após repassar caixa 2 para o Partido Democrático Trabalhista (PDT), foi procurado em setembro de 2014 por um intermediário do presidente do partido, Carlos Lupi, que pediu recursos para sua campanha ao Senado.

Fernando Reis contou que por conta disso, em outubro de 2014, foram doados R$ 400 mil para Carlos Lupi com o objetivo de que ele defendesse, caso fosse eleito, a privatização do setor de água e esgoto. O intermediário teria sido o tesoureiro do PDT, Marcelo Panella.