Imprensa é oposição. O resto é armazém de secos e molhados."

(Millôr Fernandes)

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Para que você escute o mundo


Janeiro
27
Para que você escute o mundo
Hoje nasceu, em 1756, Wolfgang Amadeus Mozart.
Séculos depois, até os bebês amam a música que ele nos deixou.
Está comprovado, muitas vezes e em muitos lugares, que o recém-nascido chora menos e dorme mais quando escuta a música de Mozart.
É a melhor maneira de dizer bem-vindo ao mundo, a melhor forma de dizer:
— Esta é a sua casa nova. Ela soa assim.
        
Eduardo Galeano, no livro ‘Os filhos dos dias’, 2ª edição, 2012, página 41, L&PM Editores.
-------------
                         







domingo, 26 de janeiro de 2020

Segunda fundação da Bolívia

Janeiro
26
Segunda fundação da Bolívia
No dia de hoje do ano de 2009, um plebiscito popular disse sim à nova Constituição proposta pelo presidente Evo Morales.
Até este dia, os índios não eram filhos da Bolívia: eram sua mão de obra, e só.
Em 1825, a primeira Constituição outorgou a cidadania a três ou quatro por cento da população. Os demais – índios, mulheres, pobres, analfabetos – não foram convidados para a festa.
Para muitos jornalistas estrangeiros, a Bolívia é um país ingovernável, incompreensível, intratável, inviável. São os que se enganaram de in: deveriam confessar que a Bolívia, para eles, é um país invisível. E não há nada de estranho nisso, porque até o dia de hoje também a Bolívia foi um país cego de si.

Eduardo Galeano, no livro ‘Os filhos dos dias’, 2ª edição, 2012, página 40, L&PM Editores.
---------------

sábado, 25 de janeiro de 2020

Abraji e mais 40 organizações assinam carta em repúdio às acusações contra Glenn Greenwald

Sábado, 25 de janeiro de 2020
Da Abraji
Liberdade de expressão

Abraji e mais 40 organizações assinam carta em repúdio às acusações contra Glenn Greenwald

Mais de 40 entidades nacionais e internacionais enviaram uma carta aberta às autoridades brasileiras nesta sexta-feira (24.jan.2020), em repúdio à recente denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o jornalista Glenn Greenwald. A Abraji assina o documento ao lado de outras organizações nacionais e internacionais que trabalham em defesa da liberdade de imprensa e dos direitos humanos.

Na carta, endereçada aos líderes das principais Casas Legislativas e instituições do Judiciário, as entidades afirmam que a denúncia contra Greenwald, realizada em 21.jan.2020, é o episódio mais recente de uma campanha extensa para desacreditar jornalistas que cobrem o tema da Operação Lava Jato. A ação do MPF prejudica não apenas a liberdade de imprensa, como também a liberdade de expressão e de participação democrática, afirmam.

Mobilidade: Aumento na tarifa, R$ 5,50 é um assalto!

Sábado, 25 de janeiro de 2020
Do Blog Brasília, por Chico Sant'Anna


Ao aumentar a tarifa do transporte, o governo dificulta o acesso da população, especialmente dos mais pobres e desempregados, e contribui para a migração dos usuários do transporte coletivo para o carro, moto ou transporte por aplicativo. Ou seja, a desproporção entre os meios de locomoção tende a se agravar, com concentração ainda maior do transporte individual motorizado.

Por Uirá Lourenço e Benny Schvasberg. Fotos de Uirá Lourenço

O novo ano começa com uma desagradável surpresa: mais um aumento na tarifa de transporte. A partir do dia 13 de janeiro o valor do ônibus (linhas de longa distância) e metrô passou para R$ 5,50. De forma rápida e sem qualquer diálogo, o governador decidiu aumentar em 10% o preço das passagens.

Passaram-se apenas cinco dias entre o anúncio do possível reajuste e a nova cobrança. O aumento é válido em todas as 826 linhas de ônibus e metrô, mas o maior impacto (50 centavos) será nas de longa distância que ligam as cidades e núcleos urbanos do DF. Ou seja, os que mais gastam tempo nos trajetos têm o maior ônus.

A capital federal não é só reconhecida por seus monumentos, mas também pelo transporte coletivo precário. A longa espera nos pontos e os ônibus superlotados são marcas registradas. Outra característica é a falta de prioridade ao transporte coletivo. Pouquíssimas vias têm faixa ou corredor exclusivo para os ônibus. E o transporte por trilhos tem baixa cobertura: o metrô co apenas 42 km de extensão não atende a região norte; as prometidas linhas de VLT nunca saíram do papel.

Como combater a desinformação— a estratégia global da fake news

Sábado, 25 de janeiro de 2020

Fonte: 

Chico Sant'Anna e a InfoCom


As redes sociais permanecem como um mundo de penumbra, onde nem sempre é possível identificar autores e seus propagadores. É um mundo sem impressão digital. Não sabemos de fato quem está teclando e não há regras claras sobre o seu uso.



Por Márcia Turcato, jornalista
A máxima “informação é poder” foi atualizada para “desinformação é poder”.  A desinformação é uma estratégia global e concorre com a ética na informação. A desinformação integra o arcabouço das convicções ideológicas e para combatê-la um importante passo a ser dado é deixar de chamá-la de fake news. Uma notícia, por definição, não é falsa, ela foi apurada com ética por um jornalista profissional. Falsas são as narrativas publicadas em portais que, embora pareçam ser sítios de notícia, publicam conteúdo sem responsabilidade social com o objetivo de prejudicar a capacidade de avaliação da audiência.
Conhecidas como fake news, as versões distorcidas da informação se apropriam de algum traço de realidade de forma a conferir credibilidade às teses de grupos de ideologia indefensável.  A desinformação imita o jornalismo na forma, mas não nos procedimentos. São criados personagens e inventados fatos para construir mentiras estratégicas para que pareçam verídicas e ganhem impulso nas redes sociais e, com isso, conquistar a simpatia de cidadãos de boa fé. Os algoritmos são uma armadilha da web.

Hoje também é dia de 'Banho de folhas'. Luedji Luna, a beleza da voz e do gingado da Bahia

Sábado, 25 de janeiro de 2020
Vídeo publicado no Youtube por Luedji Luna

Composição:
Luedji Luna e Emillie Lapa
Voz:

O Gama sendo Gama!

Sábado, 25 de janeiro de 2020
Por Osmar Rocha
Músico

O Gama é uma cidade que (dependendo da época e de suas gestões administrativas), passa meses sem ter um evento diferenciado, com atrações boas e diversificadas, mas que de repente, em apenas um dia terá 3 (eventos), quase na mesma hora e destinados ao mesmo público..

Das duas uma; 
Ou o Gama tá  bombando culturalmente, e evoluiu como uma grande cidade (o que é pouco provável, pois essa pecha provinciana, que insiste em não querer sair da cidade, até porque conta com o apoio de uma boa parcela de seu povo, que não só parece que gosta desse título, como também fomenta a prática de cidade interiorana)

Ou esse choque de agendas, que parece escancarar o "cada um por si e deus contra todos" habitual nessas bandas do rincão, comanda mesmo essa bagaça.

É bom que se fique claro que, ninguém aqui está reclamando dos eventos.. pelo contrário, a queixa aqui é por não poder estar presente em todos eles.. 

Ah se todos no Gama tivessem o carisma, a malemolência e principalmente a logística pra pulverizar-se nos picos como Malu e Magliane...

Essas sim, merecem todo carinho e respeito dos produtores e músicos da cidade.



sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Juíza bloqueia bens do ex-governador Agnelo e do ex-vice Filippelli por improbidade na construção do Estádio Nacional

Sexta, 24 de janeiro de 2020
Do TJDF
A juíza substituta da 7ª Vara da Fazenda Pública do Distrito Federal deferiu parcialmente o pedido de liminar feito pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios e determinou o bloqueio de bens do ex-governador, Agnelo Santos Queiroz Filho, do ex-vice-governador Nelson Tadeu Filippelli, do empresário Jorge Luiz Salomão, do advogado Luiz Carlos Barreto de Oliveira Alcoforado e da empresa Via Engenharia S. A, em conjunto com seu proprietário, o empresário Fernando Marcio Queiroz. Todos são réus na ação de improbidade, ajuizada pelo MPDFT, para apurar irregularidades e superfaturamento durante a execução do contrato de reforma e construção do Estádio Nacional de Brasília.

MPF denuncia ex-agente da ditadura e legistas por morte de militante política em 1976

Sexta, 24 de janeiro de 2020
Do MPF
Audir Maciel deve responder por homicídio qualificado; Harry Shibata e Pérsio Carneiro cometeram falsidade ideológica ao emitirem laudo falso
Neide Alves dos Santos, morta em 1976 - Foto: memoriasdaditadura.org.br
O Ministério Público Federal (MPF) denunciou um ex-agente da ditadura e dois médicos legistas por envolvimento na morte da militante política Neide Alves dos Santos, registrada em 7 de janeiro de 1976. Audir Santos Maciel, então comandante do Destacamento de Operações e Informações (DOI-Codi) do II Exército, em São Paulo, participou da operação que resultou na captura e no assassinato de Neide. Já os médicos Harry Shibata e Pérsio José Ribeiro Carneiro foram responsáveis por forjar um laudo necroscópico que omitia as verdadeiras circunstâncias do óbito. O documento procurou corroborar a versão oficial de que as extensas queimaduras identificadas no corpo da vítima seriam fruto de suicídio por ateamento de fogo.

O Centro de Pesquisa da Fundação Casa de Rui Barbosa está sendo desmontado, grandes pesquisadores estão sendo exonerados!

Sexta, 24 de janeiro de 2020
Change.org

Defenda a educação e a pesquisa no Brasil!


Manifesto contra a exoneração de pesquisadores da Fundação Casa de Rui Barbosa
Alunos da FCRB fez esta petição pedindo uma resposta de Leticia Dornelles – já são 64.017 assinaturas
Assine agora com um único clique
CARTA ABERTA EM DEFESA DA FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA
Nós, alunos e ex-alunos do mestrado da Fundação Casa de Rui Barbosa, colaboradores, frequentadores e amigos da instituição, repudiamos veementemente qualquer tentativa de desmonte do Centro de Pesquisas e do Centro de Memória e Informação através da destituição de seus chefes de setores, que são hoje, além de dedicados pesquisadores, profissionais de referência em suas áreas.


As pesquisas realizadas na Casa de Rui Barbosa, que reverberam em diversos cursos, seminários, artigos, livros, ações ligadas ao museu e ao arquivo, na biblioteca, no próprio mestrado e em inúmeras atividades oferecidas gratuitamente à população, concretizam-se graças ao trabalho sério realizado pelos pesquisadores dessa instituição e, essencialmente, pelos chefes de pesquisas que foram arbitrariamente destituídos.
A exoneração desse corpo de profissionais demonstra que a atual presidente não está preocupada com a continuidade do trabalho sério voltado à população, deixando claro seu despreparo para assumir tal cargo de altíssima importância. Além disso, revela seu desprezo pela pesquisa científica e pela preservação e organização de documentos históricos. Esse posicionamento ameaça a integridade, a estabilidade e o desenvolvimento das atividades da Casa de Rui Barbosa e o seu acervo de conhecimentos construído ao longo de décadas.
O que estamos presenciando constitui ato grave de desrespeito à história da Casa de Rui Barbosa, assim como enfraquecimento significante no campo da cultura e da educação no Brasil. Não vamos nos calar nem permitir que destruam um patrimônio cultural como a Fundação Casa de Rui Barbosa.
Nós, como cidadãos, beneficiários e amigos da Casa de Rui Barbosa, exigimos o retorno imediato de Antônio Herculano Lopes ao cargo de diretor do Centro de Pesquisa e a recondução de Flora Sussekind, Charles Gomes, Joelle Rouchou e José Almino de Alencar às chefias dos seus respectivos setores para o desenvolvimento de suas atividades.
Assine agora com um único clique

Mangueira e o Jesus que veio para todos.

Sexta, 24 de janeiro de 2020
Por
Siro Darlan, desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e membro da Associação Juízes para a Democracia.

Mangueira, essa comunidade de gente tão amável, hospitaleira, acolhedora trás para esse carnaval de 2020 uma verdadeira oração em forma de samba. Santo Agostinho dizia que quem canta reza duas vezes. É assim que a Mangueira vai entrar na Sapucaí, local tido por alguns como palco para o pecado, Mangueira faz diferente e abençoa a passarela com um samba oração. Mangueira eu estarei do seu lado e do lado do samba também porque os compositores de uma forma inusitada e poética repete as palavras bíblicas cantando que Jesus é de toda gente, seja branco, negro, homem, mulher, índio ou moleque pelintra do Buraco Quente.


Essa é a verdade que nem todos querem ouvir e por isso tantas vezes com nossos preconceitos e atos de desamor cravejamos de novo seu corpo santificado e o penduramos em cordéis e corcovados. Mas ele insiste em vir para todos, de todas as formas, ora com a doçura e a beleza das flores e das mulheres, ora com o sofrimento que conhece tão bem por herança de seu pai carpinteiro desempregado e sua mãe Maria das Dores Brasil, que tão bem representa as mulheres sacrificadas, não apenas as operárias e mães da comunidade, mas todas as mulheres que sofrem violência em seus corpos e na de seus filhos que são presos a assassinados por uma política que usa a força para a exclusão social.

Mas a Escola vem com sua pujança de sempre que tanto orgulha os mangueirenses, de peito aberto e punho cerrado, como sinal de resistência e luta para mudar as desvantajosas condições sociais que não aceita a violência como discurso fundamentalista. O canto prega a fraternidade que enxuga o suor do trabalhador que sua, o amor que não encontra fronteiras e vai as raias da fraternidade cristã como Cristo pregou. As alas se enfileiram contra a opressão e olha com orgulho para seu pavilhão verde e rosa para anunciar o Jesus da Gente.


Jesus da gente que era humano como somos nós, que amava homens e mulheres como nós nos apaixonamos, que era negro, até por ser palestino e não ariano, que era homem e mulher porque sua santidade não era de fazer distinções, que ceiou com operários analfabetos aos quais escolheu para dar continuidade à sua Igreja, com prostitutas e leprosos, significando que nunca se esquivou de estar com quer que fosse. Mas será que todo povo entendeu o seu recado? Certamente que não. Assim como tem muitos hipócritas e fariseus, os mesmos que viviam tentando Jesus, protestando contra o samba da Mangueira. Mas eu faço fé na minha gente, que apesar dos profetas da intolerância, sabem muito bem que a esperança, brilha mais na escuridão. Portanto minha querida Estação Primeira eu estarei do seu lado e do lado do samba também. Axé!


============
Clipe oficial do samba-enredo da Estação Primeira de Mangueira 2020. O enredo da Verde e Rosa é "A Verdade Vos Fará Livre", uma biografia de Jesus Cristo. A escola difundirá as ideias pacifistas e igualitárias daquele cujo a história, de vida e de morte, tende a ser a mais popularmente divulgada no imaginário coletivo mundial.