Imprensa é oposição. O resto é armazém de secos e molhados."

(Millôr Fernandes)

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Bolsonaro tenta salvar a liberdade de Temer, encontra enormes dificuldades

Quarta, 14 de novembro de 2018
Por
Helio Fernandes

Estabeleceram, logo e surpreendentemente, excelente relacionamento. O presidente corrupto e usurpador, facilitou tudo para a transição, obrigatória. Chegou a nomear o futuro Chefe da Casa Civil, ministro Extraordinário, fato inédito. Depois insistiu com o presidente eleito,  para aprovar imediatamente a badalada, inútil e desnecessária reforma da Previdência.

Bolsonaro aceitou entusiasmado, mas é difícil aprovar essa farsa do déficit da Previdência,  déficit que não existe. O que se conhece é a roubalheira e a sonegação, incessante e interminável. (O competente jornalista e advogado, José Carlos Werneck, escreveu verdadeiros Tratados sobre o assunto, sem o mínimo desmentido).

Ponte Alta Norte do Gama: Polícia prende grileiros que lucraram mais de R$ 3,4 milhões no DF

Quarta, 14 de novembro de 2018
Segundo a corporação, o terreno de dois hectares foi parcelado irregularmente em 27 áreas pela quadrilha, que acabou vendendo 40 lotes
                                     Foto: PCDF/Divulgação

Do Metrópoles
Victor Fuzeira
A Polícia Civil do Distrito Federal investiga o envolvimento de um grupo criminoso em parcelamento irregular de chácara da região do Núcleo Rural Ponte Alta Norte, no Gama. A Delegacia Especial de Proteção ao Meio Ambiente e à Ordem Urbanística (Dema) cumpriu, na madrugada desta terça-feira (13/11), quatro mandados de busca e apreensão da Operação Esmeralda.
De acordo com a corporação, o grupo é suspeito de ter fracionado ilegalmente, em 27 partes, uma área pública de dois hectares de extensão. Além disso, eles venderam 40 lotes ao todo. Cada área custava entre R$ 65 mil e R$ 85 mil. A organização lucrou mais de R$ 3,4 milhões com toda a ação, segundo a polícia.

terça-feira, 13 de novembro de 2018

MPDF: Prevenção ao feminicídio é tema de seminário de 21 de novembro

Terça, 13 novembro de 2018
Do MPDF
Estão abertas as inscrições para o seminário “Prevenção do Feminicídio: vamos conversar?”. O evento ocorrerá em 21 de novembro, na Coordenação Regional de Ensino do Recanto das Emas. O objetivo é debater como as variáveis de raça, gênero e classe social podem influenciar as relações violentas e como construir estratégias de intervenção.

PGR recorre de decisão que reconhece imunidade aos ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha

Terça, 13 de novembro de 2018
Do MPF
Privilégio conferido pela Constituição só alcança denunciados que, na época da formulação da acusação, estejam no exercício do cargo
A imunidade conferida aos ministros de Estado pela Constituição Federal só deve alcançar os denunciados que, na época da formulação da acusação, estejam no exercício do cargo. Esse é o posicionamento defendido pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em recurso apresentado ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta segunda-feira (12), em inquérito que apura as supostas práticas de corrupção passiva, corrupção ativa e lavagem de dinheiro pelos ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e de Minas e Energia, Moreira Franco.

TRF-2 torna deputados estaduais do Rio presos preventivos; eles são suspeitos de corrupção no âmbito do Detran-RJ

Terça, 13 de novembro de 2018
Por Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil  Rio de Janeiro
O desembargador federal Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), converteu em preventiva parte das prisões da Operação Furna da Onça. Desdobramento da Operação Cadeia Velha e deflagrada pela força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, a ação foi desencadeada para investigar a participação de deputados estaduais em esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e loteamento de cargos públicos e mão de obra terceirizada, principalmente no Departamento de Trânsito do Rio de Janeiro (Detran-RJ).

Ecos do ato de ontem (12/11/2018) em defesa do HRG, Hospital Regional do Gama

Terça, 13 de novembro de 2018
No ato em defesa do HRG, ato realizado em 12/11/2018, Jorge Viana, vice-presidente do Sindate, e eleito deputado distrital nas eleições deste ano, fala sobre a proposta do atual governo (que termina em 31/12/20180), de transformar o hospital apenas em um centro de atendimento em traumatologia. O deputado se declarou radicalmente contra o "projeto" do governo Rollemberg, proposta que fere de morte o HRG como hospital geral (aquele que oferece  ao povo atendimento em várias e várias especialidades médicas).

Clique aqui e aqui e saiba mais sobre o assunto.

E também aqui

FComGama: nesta terça (13/11) reunião com deputados eleitos no DF

Terça, 13 de novembro de 2018


Reunião do Fórum Comunitário e de Entidades do Gama

Tema: Reunião Ampliada com Deputados Eleitos
Data: 13/11 (Terça-Feira)
🕐Horário: 18h
📍Local: Espaço de Ideias

É importante a criação de canais de diálogo entre os parlamentares e a população, dialogar talvez seja a função mais nobre de um deputado, talvez até mais que legislar e fiscalizar os outros poderes.

Pensando nisso, o FComGama, convida a todos os deputados eleitos, independente de partido político, para se reunir com a comunidade e ouvir suas demandas, principalmente às da área de saúde.

Mesa Mediadora do FComGama

A pior semana de Bolsonaro, depois de presidente eleito

Segunda, 13 de novembro de 2018
Por
Helio Fernades

A partir da arrogância da vitória no segundo turno, 15 dias de contradições,  erros, desacertos e equívocos insanáveis e irrefutáveis na formação da equipe. E como consequência, derrotas e mais derrotas, no plano militar, legislativo, judiciário. A mais clamorosa, acachapante,  destruiu o que ele cultivava como "seu grande trunfo", no caso do visível e previsível fracasso administrativo: o que insinuava e deixava à mostra, uma intervenção militar.

Vamos salvar o Antônio? Você pode ajudar bebê que sofre de doença rara

Terça, 13 de outubro de 2018
Criança de 5 meses tem atrofia muscular espinhal, que paralisa e debilita a locomoção. Não há cura, mas é possível controlar a enfermidade

Por Victor Fuzeira
A euforia da chegada do primeiro filho em uma família de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, foi substituída por um sentimento de desespero e angústia. O pequeno Antônio, de apenas 5 meses, foi diagnosticado com atrofia muscular espinhal (AME), condição genética rara que afeta as células do sistema nervoso, levando à paralisação gradual dos músculos do corpo.

domingo, 11 de novembro de 2018

Documentário trata do encarceramento de mulheres que são mães no Brasil

Domingo, 11 de novembro de 2018
Da


C(Elas) adota postura crítica ao retratar o cotidiano de mulheres que passam os meses de gestação e se tornam mães dentro da prisão

Imagem que ilustra o cartaz do documentário | Foto: Divulgação
“Quando a gente manda a criança embora antes do tempo, eles falam que a gente não tem atitude de mãe, mas eu acho que atitude de mãe é você mandar embora antes. Quem ama não deixa preso”. Esse é o trecho de um dos depoimentos de uma das mães encarceradas na Penitenciária Feminina de Cariacica, no Espírito Santo, que é personagem no curta-metragem C(Elas), dirigido por Gabriela Santos Alves, lançado no ano passado, e que acompanha os meses finais da gravidez e os primeiros após o nascimento de um bebê no cárcere.

Rocha Loures tenta passar por “otário”, mas vai pegar muitos anos de cadeia…

Domingo, 11 de novembro de 2018
Da Tribuna da Internet
Carlos Newton
Na Faculdade de Direito, até hoje se estuda a teoria de Cesare Lombroso, médico psiquiatra italiano, que foi fundador da Escola Positiva, ao lado de Enrico Ferri e Raffaele Garofalo, responsáveis por implantar uma etapa científica da criminologia no final do século XIX. Foi Lombroso que criou a Tese do Criminoso Nato, cuja tendência delituosa poderia ser identificada em função das características da formação do crânio do indivíduo. A teoria fez sucesso, colocou muita gente na cadeia, até ficar provado que não tinha o menor rigor científico e ninguém pode ser classificado como criminoso apenas pelo fato de ser disforme, digamos assim.

É D'oxum

Domingo, 11 de novembro de 2018
Vídeo publicado no Youtube pelo Canal Fitamarela

Para entender de uma vez o que é misoginia

Domingo, 11 de novembro de 2018
Misoginia é conceito recorrentemente usado. Contudo, nem todos sabem ao certo o seu significado. Um exemplo do desconhecimento do termo observamos na tentativa de Michelle Bolsonaro, esposa de Jair Bolsonaro, defender seu marido. Vejamos:

Por Café Com Sociologia/ Foto Divulgação 

O que é misoginia?

Por Cristiano das Neves Bodart

Misoginia é conceito recorrentemente usado. Contudo, nem todos sabem ao certo o seu significado. Um exemplo do desconhecimento do termo observamos na tentativa de Michelle Bolsonaro, esposa de Jair Bolsonaro, defender seu marido. Vejamos:

“Ele é taxado como misógino, né! E ele é casado com quem? Com uma filha de cearense” (Michelle Bolsonaro, 29 de out. 2018).

Nota-se que, para Michelle Bolsonaro, seu marido não poderia ser misógino uma vez que é casado com uma filha de cearense, como se houvesse alguma relação entre misoginia e preconceito aos nordestinos. Erro crasso detectado!

Misoginia envolve preconceito, contudo não aos nordestinos. Trata-se de repulsa, desprezo, ódio ou preconceito contra as mulheres. Etimologicamente, a palavra “misoginia” é derivada do grego misogynia​. Trata-se da união de miseó, que significa “ódio”, e gyné, que se traduz para “mulher”. No Cambridge Dictionary misoginia assim está definido:  […] crença de que os homens são muito melhores que as mulheres (Cambridge Dictionary Online, 2018).

Alguém que defende que as mulheres são inferiores moralmente ou intelectualmente aos homens é considerado misógino. A misoginia pode manifestar-se de várias maneiras, incluindo a violência (física e psicológica), a discriminação sexual, difamação motivada pelo gênero e objetificação sexual das mulheres. Os elevados índices de feminicídio tem relação direta com a misoginia. 

É importante destacar duas coisas: i) a misoginia é mais antiga do que a roda, embora o conceito tivesse aparecido pela primeira vez em 1656, no Oxford English Dictionary e; ii) as formas de manifestação da misoginia se transformaram, à medida que as sociedades humanas evoluíram, tornaram-se mais refinadas, sutis, o que não significa que são menos inadmissíveis. 

Um belo trabalho para entendermos como as mulheres são subjugadas na nossa sociedade é o livro “A dominação Masculina“, de Pierre Bourdieu. Nele o autor demonstra como a dominação dos homens sobre as mulheres se manifesta tanto de forma explicita, como sutil, muitas vezes imperceptível aos homens e às mulheres.
-------------
Fonte: ContextoExato
-------------
Permitida a reprodução desde que citada a fonte (https://cafecomsociologia.com/cristiano-bodart/)

sábado, 10 de novembro de 2018

Brasileiros: Fármaco pode eliminar vírus da chikungunya, revela pesquisa

Sábado, 10 de novembro de 2018
Por Agência Brasil  São Paulo
Um estudo feito por pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP), com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), mostra que um fármaco usado no tratamento contra hepatite C crônica é capaz de eliminar o vírus da chikungunya e da febre amarela. Todos os testes para uso humano do Sofosbuvir já foram realizados e com isso é possível que a substância seja empregada em uma eventual epidemia de Chikungunya.

Arroz, feijão e carne são os alimentos mais desperdiçados no Brasil

Sábado, 10 de novembro de 2018
Governo promove atividades para conscientizar sobre o desperdício

Por Pedro Rafael Vilela* - Repórter da Agência Brasil  
O Ministério do Meio Ambiente (MMA) encerrou neste sábado (10), em Brasília, a Semana Nacional de Conscientização sobre Perdas e Desperdícios de Alimentos 2018.

A programação do último dia contou com uma estrutura montada na Central de Abastecimento (Ceasa) da capital federal, e incluiu oferta gratuita de oficinas de combate ao desperdício, com dicas sobre como tirar o melhor aproveitamento de alimentos, evitando o descarte daquilo que ainda pode ser consumido. Ao longo dos últimos dias, exposições e outras oficinas, como a de hortas urbanas, também movimentaram o local.

Racismo, incitação ao genocídio e ameaça: MPF abre investigação sobre carta com ameaças a alunas do curso de geografia da Universidade Federal do Pará em Altamira

Sábado, 10 de novembro de 2018
Procuradoria vai investigar crimes de racismo, incitação ao genocídio e ameaça. A carta é anônima e foi deixada no centro acadêmico do curso
A carta iniciava com os dizeres “Bem vindos ao Fascismo” (sic) e prosseguia anunciando que chegou o momento de “passar por cima de cada um de vocês, cada gay, cada sapatão, preto e preta”. “Vamos exterminar cada um de vocês. Vamos destruir cada um desse tal movimento estudantil, começando por vocês do Diretório Acadêmico, vamos começar com a preta que se acha dona da razão, a coordenação geral do D.A, vai aprender a ficar calada, vai aprender a ficar no lugar dela, vai aprender que preta não tem voz e nem vez”, dizia o texto para, em seguida, nominar duas alunas e ameaçá-las de morte.O Ministério Público Federal (MPF) determinou, nesta quinta-feira (8), a abertura de investigação criminal sobre uma carta com ameaças a alunas do curso de geografia da Universidade Federal do Pará (UFPA) em Altamira, na região do médio rio Xingu. A carta, anônima, foi encontrada no dia 31 de outubro, provavelmente passada por baixo da porta do centro acadêmico de geografia, contendo ameaças contra duas alunas que são lideranças do movimento estudantil.

Funcionário da JBS, alvo da Operação Capitu, se entrega em SP

Sábado, 10 de novembro de 2018
Por Camila Maciel – Repórter da Agência Brasil  São Paulo
Florisvaldo Caetano de Oliveira, um dos alvos da Operação Capitu deflagrada ontem, se apresentou hoje (10) na sede da Polícia Federal (PF), em São Paulo. Funcionário da JBS, ele é investigado por participação em suposto esquema de corrupção no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Havia um mandado de prisão em aberto contra ele.

Foram presos no curso da operação Joesley Batista, dono da JBS, e o ex-ministro da Agricultura e atual vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade (MDB).

Astronauta e futuro ministro Marcos Pontes negou por anos ser sócio oculto de empresa. Virou dono dela depois que investigação prescreveu

Sábado, 10 de novembro de 2018
Do Intercept Brasil


Uma das primeiras promessas de campanha que o presidente eleito Jair Bolsonaro cumpriu foi anunciar a contratação de Marcos Pontes, tenente-coronel de 55 anos reservista da Força Aérea Brasileira e único brasileiro na história a ter viajado ao espaço. Pontes vai ocupar o Ministério da Ciência, Tecnologia e Comunicações. Nas redes sociais, opositores de Bolsonaro fizeram piada com o fato de o astronauta ter se notabilizado mais por ser palestrante e garoto-propaganda de travesseiros “da Nasa”, a agência espacial americana na qual foi treinado durante sete anos, ao custo de US$ 10 milhões (R$ 37 milhões), do que por suas contribuições à ciência.
Mas nem tudo é folclore no merchandising do astronauta e de seus travesseiros, vendidos nas lojas Havan por dez vezes de R$ 6,99. Pouco antes de ir para a reserva, em 2006, o tenente-coronel da reserva foi alvo de uma investigação do Ministério Público Militar para apurar se ele havia infringido o artigo 204 do Código Militar, que proíbe a militares da ativa qualquer atividade comercial. Na época, ele negou relação com a empresa Portally Eventos e Produções, registrada em nome de uma assessora de imprensa dele. A investigação caducou no STF sem que os procuradores tivessem atendido um pedido de quebra de sigilo bancário e fiscal de Pontes.

Cuidado com os que tentam aplicar um passa-moleque na justiça brasileira: o que estão tramando é um lichamento

Sábado, 10 novembro de 2018
Está sendo espalhado pelo país algo que tanto pode ser uma informação de bastidores quanto uma wishful thinking para influenciar a opinião pública e os ministros do Supremo Tribunal Federal. Quem não quiser ser manipulado, precisa avaliar a questão com muito cuidado.

Segundo o jornal O Globo, do parecer do relator Luiz Fux sobre o eventual direito de o atual ou o novo presidente da República ordenarem a extradição do escritor Cesare Battisti, constaria o reconhecimento da "prerrogativa de um presidente rever decisão de outro em casos como esse, de extradição de estrangeiros”.

Para Senado, MP que adia aumento de servidores pode ser suspensa

Sábado, 10 novembro de 2018
Parecer enviado ao STF diz que MP 849 tem "similaridade" com MP 805

Por Felipe Pontes – Repórter da Agência Brasil  Brasília
Em parecer encaminhado ontem (8) ao Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), informou ser possível a suspensão, devido a irregularidade em sua edição, da Medida Provisória 849/18, que adiou a última parcela do aumento de salário concedido em 2017 a dezenas de carreiras do funcionalismo público.

A MP é alvo de ao menos quatro ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs) propostas por entidades de servidores. Foram proponentes a Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social (ANMP); a Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Proifes – Federação); a Associação Nacional dos Servidores Públicos da Previdência e da Seguridade Social; e a Associação dos Servidores Federais em Transportes (Asdner).

CNJ abre processo para apurar ida de Moro para ministério de Bolsonaro; foi feito pedido de explicações ao juiz

Sábado, 10 novembro de 2018
Por Felipe Pontes - Repórter da Agência Brasil
O corregedor nacional de Justiça, Humberto Martins, instaurou hoje [ontem] (9) um pedido de providências para que o juiz federal Sergio Moro esclareça questionamentos feitos ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre sua suposta atividade político-partidária enquanto ainda exercia a magistratura.

As representações foram feitas depois que Moro aceitou o convite para o cargo de ministro da Justiça do presidente eleito Jair Bolsonaro. O juiz pediu férias e, antes de se exonerar da magistratura, passou a se reunir com a equipe de transição do governo. Antes, ele se reuniu com Bolsonaro no Rio de Janeiro.

Martins deu 15 dias para que Moro preste informações, “visando a possibilitar uma melhor compreensão dos fatos”. Pela Lei Orgânica da Magistratura, magistrados não podem exercer atividade político-partidária. Ao todo, foram feitos três questionamentos à conduta de Moro, um por um cidadão, outro pela Associação Brasileira de Juristas pela Democracia e um terceiro pelo PT.

Habeas corpus de Lula
Em outra frente, o corregedor nacional de Justiça marcou para 6 de dezembro a oitiva de Moro e dos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) Rogério Favreto, João Pedro Gebran Neto e Thompson Flores Lenz.

Os quatro participaram de uma guerra de liminares, em julho, quando Favreto, de plantão, concedeu um habeas corpus ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Decisões contrárias de Moro, Gebran e Flores mantiveram Lula na cadeia.

Martins ouvirá pessoalmente e em separado cada um dos magistrados envolvidos no episódio e que respondem a uma representação disciplinar. Embora o processo corra em segredo de Justiça, a marcação das oitivas foi divulgada pelo CNJ.

A população precisa do HRG! E o HRG precisa de você! Ato em defesa do hospital nesta segunda (12/11)

Sábado, 10 de novembro de 2018


Saiba mais aqui

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Conversas de alunos do colégio particular Antônio Vieira, em Salvador, vazam e chocam pelo conteúdo: "Tortura essas putas"

Sexta, 9 de novembro de 2018
Do 
Bocão News

Circulam nas redes sociais prints da troca de mensagens de estudantes do Colégio Antônio Vieira, em um grupo de WhatsApp com conteúdo ofensivo a mulheres, índios e minorias.
Batizado por “Direita delirante”, o grupo reúne apoiadores do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que chegam a sugerir a criação de um “ministério da tortura”.
“...vai abrir o ministério da Tortura. Mais importante que o da Cultura”, diz um dos estudantes.
[Clique na imagem abaixo para melhor visualizá-la]

Em referência a mulheres do campo de esquerda e ativistas feministas, os participantes listam formas de agressão. “Coloca para trabalhar em uma mina de carvão até morrer”, escreve um deles. 
“Tortura essas puta dando umas 5 facadas logo” [sic], outro acrescenta. De acordo com uma fonte do BNews, os ataques proferidos no grupo, que foi inicialmente denominado "Direita CAV", são dirigidos em sua maioria a professores da unidade educacional.
Os ataques também falam em assassinato de índios. “Que tal mandar os bandidos pras reservas indígenas? Aí eles se matam e matam os índios também”.
OUTRO LADO – Em repúdio às mensagens, o colégio emitiu nota oficial afirmando que apura o caso e que tomará “todas as medidas cabíveis diante dessa situação lamentável”.
Veja nota:
[Clique na imagem abaixo para melhor visualizá-la]
================
Do Gama Livre: O Colégio Antônio Vieira é uma escola particular de Salvador. Foi fundado pela Companhia de Jesus nos inícios do século passado. Está localizado do Garcia, bairro central de Salvador. Atendeu até hoje, normalmente, a filhos de classe rica ou, no mínimo, média alta. 
Veja imagens do Antônio Vieira. Clique na imagem para ver outras fotos

Foto da entrada do Colégio Antônio Vieira —Google

PSOL apresenta ação no STF contra reajuste abusivo para juízes e membros do Ministério Público

Sexta, 9 de novembro de 2018
Foto: Nelson Jr./STF

O líder do PSOL na Câmara, deputado Chico Alencar (PSOL/RJ), protocolou, junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), um mandado de segurança para impedir a sanção presidencial do PLC 27/2016, aprovado nesta quarta-feira (07) pelo Senado Federal, que autoriza o aumento dos subsídios dos juízes e dos membros do Ministério Público. Estima-se que o aumento terá um efeito cascata que pode gerar uma fatura extra de mais de R$ 5 bilhões.
A alegação principal do mandado de segurança é de que houve vício na tramitação do projeto. De acordo com as normas constitucionais, projetos de lei que são iniciados na Câmara dos Deputados e posteriormente emendados pelo Senado Federal têm que retornar para nova apreciação na Câmara. Isto é o que dispõe o parágrafo único do artigo 65 da Constituição Federal. Entretanto, a presidência do Senado encaminhou o projeto direto para sanção presidencial.

Desigualdade exacerba fome, desnutrição e obesidade na América Latina e no Caribe

Sexta, 9 de novembro de 2018
Da FAO no Brasil
Santiago do Chile / Cidade do Panamá - A fome, a desnutrição, a falta de micronutrientes, o sobrepeso e a obesidade têm maior impacto sobre as pessoas com baixa renda, mulheres, povos indígenas, afro-descendentes e famílias rurais na América Latina e no Caribe, segundo um novo 

O Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional 2018 concentra-se em vínculos estreitos entre a desigualdade econômica e social e os níveis mais elevados de fome, obesidade e desnutrição das populações mais vulneráveis ​​da região.

De acordo com o relatório, na América Latina, 8,4% das mulheres vivem em insegurança alimentar grave, em comparação com 6,9% dos homens, enquanto as populações indígenas sofrem insegurança alimentar maior do que as pessoas não-indígenas.
Em dez países, crianças das famílias que representam os 20% mais pobre, sofrem três vezes mais nanismo do que as das famílias que representam os 20% mais rico.

Operação Capitu: Joesley Batista, da JBS, é um dos presos

Sexta, 9 de novembro de 2018
Por Pedro Peduzzi e Aécio Amado - Repórteres da Agência Brasil  Brasília

O empresário Joesley Batista, dono da JBS, está entre os presos da Operação Capitu, deflagrada nesta sexta-feira (9) pela Polícia Federal.

Ele é suspeito de envolvimento no pagamento de propina a servidores e agentes políticos que atuavam no Ministério da Agricultura e na Câmara dos Deputados.

Além de Joesley, foi preso o ex-ministro da Agricultura e atual vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade (MDB).

Proibido passar

Novembro
9

Proibido passar

Num dia como hoje, em 1989, morreu o muro de Berlim.
Mas outros muros nasceram para que os invadidos não invadam os invasores.
para que os africanos não recuperem os salários que seus escravos jamais receberam,
para que os palestinos não regressem à pátria que roubaram deles,
para que os saaráuis não entrem em sua terra usurpada,
para que os mexicanos não pisem o imenso mapa que comeram deles,
No ano de 2005, o homem-bala mais famoso nos circos do mundo, David Smith, protestou, à sua maneira, contra a humilhante muralha que separa o México dos Estados Unidos. Um enorme canhão o disparou, e das alturas do ar David conseguiu cair, são e salvo, no lado proibido da fronteira.
Ele nasceu nos Estados Unidos, mas foi mexicano enquanto seu voo durou.

Eduardo Galeano, no livro ‘Os filhos dos dias’, editora L&PM, 2ª edição, folha 355.

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

A Grande Ilusão

Quinta, 8 de novembro de 2018
Por
Pedro Augusto Pinho

“Todos cantam sua terra,
Também vou cantar a minha,
Nas débeis cordas da lira
Hei de fazê-la rainha”
(Casimiro de Abreu, “Minha Terra”, em “As Primaveras”)

A eleição de outubro de 2018 foi preparada com quatro anos de antecedência. Mas o planejamento estratégico para conquista do Brasil vem desde o início do século.

Se, em outra época, nos defrontamos com poderes nacionais, ou ideologias conduzidas por Estados Nacionais, temos desde 1990 uma situação inédita. Há um sistema, acima dos Estados, que busca a hegemonia mundial: o sistema financeiro internacional, a banca.

Este sistema já aparelhou parcialmente a estrutura do governo dos Estados Unidos da América (EUA), da maioria dos países da Europa Ocidental, de países latino-americanos, africanos e asiáticos.

De tal forma que a bipolaridade da guerra fria, a unipolaridade de 1989, a pretensa multipolaridade deste século, se defrontam hoje com três poderes com ambições globais. Por ordem de maior para menor poder temos: a banca, o mercantilismo chinês e o império estadunidense.

FComGama indica nesta sexta (9/11) em sessão plenária lista tríplice para administrador regional do Gama

Quinta, 8 de novembro de 2018

Reunião do Fórum Comunitário e de Entidades do Gama

Tema: Formação de Lista Tríplice para a Administração Regional do Gama
Data: 09/11
🕐Horário: 18h
📍Local: Espaço de Ideias (Qd 1, Conj B, Lt 220, Setor Norte do Gama)

Tendo em vista à mobilização de setores da comunidade no intuito de democratizar o processo de escolha do Administrador Regional, já havendo inclusive listas e enquetes nesse sentido, o FComGama, importante instituição no encaminhamento das demandas da cidade e como espaço de debate e aglutinação das principais lideranças comunitárias, entende como necessário o seu posicionamento diante de uma questão tão importante para a nossa cidade.

Sendo assim, realizaremos uma reunião para a elaboração de uma Lista Tríplice do FComGama, com base no seguintes critérios:

I – Somente constarão na lista membros efetivos do Fórum Comunitário e de Entidades do Gama, com cadastro inscrito há no mínimo um mês;

II – Os interessados em constar na lista, se apresentarão pessoalmente no local, não sendo aceita representação por assessores ou terceiros;

III – Cada um terá sete minutos para se apresentar e terá direito há três minutos para responder uma pergunta sorteada entre os presentes;

IV – Todos os presentes terão direito a voto;

V – Os três mais bem votados constarão na Lista Tríplice do Fórum Comunitário e de Entidades do Gama.


Lula pode estar solto, antes da posse de Bolsonaro

Quinta, 8 de novembro de 2018
Por
Helio Fernandes*

Os advogados do ex-presidente entraram com pedido de libertação no STF. Justificação: parcialidade do juiz Moro na condenação.  Alegação; a parcialidade está mais do que evidente com o entrosamento de Moro-bolsonaro no governo que começa em 1 de janeiro de 2019. Esse relacionamento é a continuação contaminada e espúria da ligação entre os dois, durante a campanha presidencial. E que explodiu agora, com a elevação de Moro à condição de segundo personagem e o mais poderoso do futuro governo.

Bule-Bule da Bahia, sambador maior

Quinta, 8 de novembro de 2018
No Teatro da Caixa, em Brasília, no Projeto Musical Palco Visceral, o repentista e sambador Bule-Bule da Bahia canta e dança no palco. Vídeo de 9/9/2017, postado no Youtube por Gama Livre.

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Ato público em defesa do HRG será nesta segunda (12/11) às 9 horas na frente do Pronto Socorro. Participe! Defenda o nosso hospital!

Quarta, 7 de novembro de 2018

Se faz urgente a mobilização da comunidade em defesa de um dos seus maiores bens, a Saúde Pública.

Foi cogitada no fechar das cortinas desse governo que termina a possibilidade de retirar o status de Hospital Geral do HRG, para convertê-lo em um Centro de Politrauma, perdendo as demais especialidades.

É inaceitável que uma cidade do porte do Gama não tenha um hospital para atender a sua população, dividindo o fluxo da demanda do Entorno Sul com o HSRM.

Essa mobilização se faz necessária para deixarmos uma mensagem muito clara a quem está saindo e a quem está chegando ao GDF, queremos um Hospital Geral e exigimos uma saúde pública de qualidade.

ATO EM DEFESA DO HRG
12/11/2018 às 9h - Pronto Socorro

ELABORAÇÃO DA CARTA DA SAÚDE
12/11/2018 às 18h - Espaço de Ideias (Qd 1, Cj B, Lt 220, Setor Norte do Gama)

Participe! A saúde pública pede socorro!


Queremos que o HRG👇👇👇👇 continue como hospital geral, oferencendo atendimento nas várias especialidades médicas. Clique na imagem abaixo para ampliá-la.
HRG_ft wikimapia org 

O opróbrio do magistrado

Quarta, 7 de novembro de 2018
Por

Moro, portanto, quando agride a lei, não é figura isolada na paisagem cinzenta da magistratura brasileira
 

Igualmente arbitrária e ilegal foi a decisão de Sérgio Moro de intervir deliberadamente no processo eleitoral
O ainda juiz Sérgio Moro, ora a caminho das férias, faz praça de onipotente, durão, inflexível, o que ajuda a bem cuidada construção da  imagem de vingador implacável e incorruptível.  Os mais velhos e os cinéfilos devem conhecer a saga de Eliot Ness na série “Os intocáveis”, sobre a repressão ao crime na Chicago das primeiras décadas do século passado.
Até aí nada de novo, pois essa é a jactância da média de seus colegas de instância primária, para os quais toga e japona se confundem com isenção. Para esses aprendizes de Savonarolas (em cuja categoria se incluem os procuradores da Lava Jato), certas prescrições constitucionais, como o devido processo legal, não passam de penduricalhos herdados de uma ordem já sem serventia. O ‘novo’ direito se legitima mediante seus resultados.
Um colega de Moro, ex-juiz e oficial da reserva da Marinha feito governador do Rio de Janeiro, não se sabe como, anuncia a violência do Estado como o antídoto da violência da criminalidade, transformando em irmãos siameses o agente da lei e o infrator: “O correto é matar o bandido que está de fuzil.
A polícia vai fazer o correto: vai mirar na cabecinha e…fogo!. Para não ter erro” (Folha de SP, 4/11/18). O juiz insubmisso à lei anuncia sua obra: “Não vai faltar lugar para colocar bandido. Cova, a gente cava, e presídio, se precisar, a gente bota em navio em alto mar”.
Vimos, há pouco, o festival de arbitrariedades encenado por juízes com funções eleitorais, reprimindo, mediante o emprego da força policial, manifestações universitárias de defesa da democracia e de  resistência  ao fascismo, reduzindo a um nada o inalienável direito à liberdade de expressão.
Já antes, lá atrás, uma juíza de piso havia mandado invadir a Universidade Federal de Santa Catarina e prender seu reitor, que, submetido a vexames na sede da Polícia Federal, e proibido de frequentar a instituição na qual ingressara por concurso, optou por tirar a própria vida. Em outubro último sua morte completou um ano.
Violência similar seria repetida dias depois, contra  professores da  Universidade Federal de Minas Gerais. Em ambos os casos, a grande vítima é a ordem constitucional, rasgada, achincalhada por quem é pago e bem pago, com  salários altos (altíssimos para os padrões nacionais) e regalias antirrepublicanas, como auxílio moradia e auxílio isso e auxílio aquilo, para defendê-la.
Em todos esses casos é golpeada a ordem constitucional democrática.
Moro, portanto, quando agride a lei, não é figura isolada na paisagem cinzenta da magistratura brasileira.
Como a média dos juízes de piso, é acusado de decisões e medidas ilegais, nem sempre corrigidas pelas instâncias superiores do poder judiciário, e jamais corrigidas quando a arbitrariedade visava ou visa a punir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ou seu partido.
Assim, foi arbitrária e ilegal a divulgação, por ordem sua, de conversas do ex-presidente com a então presidente Dilma Rousseff, preparatória da decisão do judicante ministro Gilmar Mendes – que proibiu, noutra extremada inconstitucionalidade, a nomeação de Lula para a chefia da Casa Civil da presidência da República, abrindo caminho, em operação claramente política, na índole e na sua metodologia, para o impeachment da Presidente.
Impeachment o qual dificilmente seria exitoso se não contasse com a colaboração prestimosa e ativa do STF, que concluiu a obra golpista graças a manobra de sua então presidente, que, manipulando a pauta, postergou a apreciação de pedido de habeas corpus impetrado por Lula face à prisão após decisão condenatória em segunda instância.
Assim, não julgando, manteve Lula preso e impediu sua candidatura, quando liderava as pesquisas de intenção de voto. Assim também deixou livre a estrada para a aventura do capitão. E, não julgando processo em que Bolsonaro é acusado de agressão à deputada Maria do Rosário, processo que dorme nos seus insondáveis escaninhos desde 2014, o STF assegurou a candidatura e assegura a posse do militar.
A politico-partidarização do poder judiciário caminha do teto à base.
Igualmente arbitrária e ilegal foi a decisão de Sérgio Moro de intervir deliberadamente no processo eleitoral, ao liberar para divulgação, a apenas  seis dias do pleito, o depoimento/delação do ex-ministro Antonio Palocci, contendo acusações ao ex-presidente Lula e ao PT.
Assim, de forma ostensiva, Moro interveio nas eleições presidenciais, beneficiando um dos candidatos, o capitão finalmente  eleito. O convite, nesses termos, deve ser reconhecido como ato de justa gratidão.
Nas circunstâncias, o simples convite do capitão para que Sérgio Moro se transferisse da operação Lava Jato para uma das dependências da Esplanada dos Ministérios já seria suficiente para tisnar com dúvidas a imparcialidade que a ética e a Constituição exigem do juiz.
Essa imparcialidade, porém, se desfaz em frangalhos diante da aceitação da prebenda, pois, é impossível dissociar o gesto do presidente eleito da notória ajuda eleitoral assegurada pela atuação do juiz camicia nera.
Mais ético, na Itália pós-Mãos Limpas, o promotor Antonio Di Prieto teve a dignidade de recusar o convite feito por Berlusconi, cuja ascensão ao poder havia sido propiciada pela operação judiciária de desmonte da chamada  ‘classe’ política, matriz em que se mirou a Lava Jato.
E não é só, e é difícil saber o que é mais grave, pois o juiz empresta sua imagem – e com ela a imagem da Justiça brasileira – ao fortalecimento de um governo reiteradamente comprometido com a repressão e a ilegalidade, que anuncia a desnacionalização do País, a estagnação de seu desenvolvimento (entre as primeiras medidas dos aprendizes de feiticeiros está a destruição do BNDES), o desmonte das empresas estatais (a serem postas à venda na bacia das almas), a subordinação dos interesses imediatos do país e do destino de nosso povo ao hegemonismo belicoso dos EUA, a cujo serviço, contra nossos interesses, o capitão eleito já  anuncia hostilidades à Venezuela, a Cuba, ao Mercosul (o principal destino de nossas exportações de manufaturados), à China (nosso mais importante parceiro comercial), aos países árabes (principal destino de nossas exportações de proteína animal), aos BRICS… e já cogita do ingresso do Brasil na OTAN, o pacto de guerra liderado por Washington.
Tudo isso depois de anunciar novos acordos militares com os EUA – a ação conjunta de nossas forças armadas na fronteira amazônica, a entrega da base espacial de Alcântara –, depois da entrega do pré-sal, alienando nossa soberania e as expectativas de desenvolvimento autônomo.
Seremos, breve, um imenso Porto Rico, se o capitão e sua coorte de oficiais e juízes e economistas entreguistas não forem detidos em seu afã genuflexório.
Há, porém, no episódio do convite do capitão aceito pelo juiz a grave suspeita, levantada pela imprensa, segundo a qual Sérgio Moro teria sido convidado para o inflacionado Ministério da Justiça não após o pleito, mas durante o processo eleitoral, e, pior de tudo, antes da divulgação, autorizada pelo juiz, relembre-se, da delação de Palocci – recusada pela Procuradoria por falta de provas.
Essa informação foi revelada à imprensa no último dia 31 pelo general Hamilton Mourão, vice do presidente eleito, ao afirmar que o primeiro contato com o juiz de Curitiba, para que assumisse o Ministério da Justiça na futura administração, foi feito pelo anunciado super-ministro Paulo Guedes, “durante a campanha” eleitoral (“O ‘Posto Ipiranga’ contatou Moro”. Elio Gaspari. Folha de SP. 4/11/18).
Neste caso, nosso Catão de pés de barro estaria rompendo com os limites éticos da função pública que exerce em nome da República. Comprovado esse grave desvio ético-profisional, de letalidade inevitável, o juiz ver-se-á sem condições morais de permanecer na magistratura ou de aquartelar-se no Ministério da Justiça na expectativa de vaga prometida para o STF, onde, noutros tempos, pontificaram fortalezas morais como Evandro Lins e Silva, Adauto Lucio Cardoso e Victor Nunes Leal.
Especula-se, mesmo, que o juiz poderá ser candidato à presidência da República se o capitão, como já anunciou, não concorrer à sua própria sucessão.
Em entrevistas antigas, relembradas pela imprensa, o juiz Sérgio Moro dizia que sua eventual passagem para a política clara lançaria dúvidas sobre a integridade de seu trabalho.
Lançou.
Qual é o nome que se costuma dar ao árbitro que, ao final de jogo truncado por faltas contestadas, gols questionados, expulsões e penalidades máximas discutíveis, é carregado nos braços pela torcida do time vencedor?
Marielle – Enquanto discutem entre si a polícia civil fluminense e a força interventora federal, continua sem apuração a chacina que vitimou a vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes. Isto é uma afronta insuportável.
Doravante, a identificação e prisão dos mandantes e executantes será cobrada do ex-juiz-futuro-governador do Rio, como também do ex-juiz Sérgio Moro, futuro superministro da Justiça e adjacências.
Roberto Amaral  
___________
Roberto Amaral é escritor e ex-ministro de Ciência e Tecnologia