Imprensa é oposição. O resto é armazém de secos e molhados."

(Millôr Fernandes)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Os custos da submissão ao fundamentalismo neoliberal. O governo Michel Temer

Quarta, 18 de janeiro de 2017


Os custos da submissão ao fundamentalismo neoliberal

O governo Michel Temer



Por Wladmir Coelho

O governo Michel Temer, com apoio dos grandes meios de comunicação nacional e setores conservadores da sociedade, implanta as chamadas reformas da educação, trabalho, previdência e privatização da Petrobras.

A profundidade das alterações de ordem política, econômica, social determinadas no conjunto dessas reformas deveriam, no mínimo, vincular sua aprovação à consulta aos interessados, entretanto prefere o governo o entendimento de democracia associada a aplicação da ideologia neoliberal.

Após denúncia, MP de Contas oferece representação sobre falta de estrutura no Paranoá Parque

Quarta, 18 de janeiro de 2017
Do Ministério de Contas do DF
De acordo com Defensoria Pública, residencial foi erguido sem planejamento. Aumento da população afeta serviços essenciais como segurança, saúde, educação


Há uma semana, o Hospital Regional do Paranoá (HRPa) suspendeu parte das atividades por não conseguir atender à demanda na região. Além disso, de acordo com denúncia recebida pelo Ministério Público de Contas (MPC/DF), feita pela Defensoria Pública, há famílias com crianças, em idade escolar, sem acesso à educação. O sistema viário complicou-se no local e o transporte público é deficitário. Para atender a ocorrências policiais, há uma delegacia. Denúncias de crimes, como tráfico e prostituição de menores, seriam frequentes.
A situação teria se agravado com a criação do residencial Paranoá Parque, construído com recursos do governo federal, dentro do programa Minha Casa Minha Vida. O problema seria a falta de planejamento e de estudos de impacto que teriam dificultado o acesso da população a serviços públicos essenciais.
Dados da última Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad), divulgada em julho de 2015 pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), apontam para estimados 48.020 habitantes vivendo no Paranoá. A partir desse mesmo ano, a Defensoria Pública diz que foram entregues “390 prédios, com 6.240 apartamentos” do programa Paranoá Parque – o que, em estimativa, incrementaria a população em mais 30 mil pessoas. Ainda de acordo com a Defensoria, há invasões aos imóveis, obrigando ao ajuizamento de dezenas de ações.
Em 15 de dezembro, o Tribunal de Contas (TCDF) concluiu uma auditoria e acolheu medida cautelar proposta pelo MP de Contas, determinando à Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) que se abstenha de distribuir unidades habitacionais prontas a cooperativas e associações ou a seus filiados, por falta de amparo legal, restringindo-se à disponibilização de áreas para construção, destinadas a entidades credenciadas ao programa e devidamente qualificadas. Além disso, foram proferidas determinações para melhoria de controle, a fim de evitar invasões.
A denúncia da Defensoria Pública, que relata o agravamento da situação, ocorreu durante o recesso regimental. Para a procuradora-geral do MP de Contas, Cláudia Fernanda de Oliveira Pereira, a razão do problema está na origem do empreendimento, quando se escolheu o local e, após, quando se executou o projeto. Desde 2013, o MP de Contas chama a atenção para esses fatos, por meio da representação 09/13-MF, ressaltando que “as áreas reservadas para os empreendimentos carecem de estudos prévios indispensáveis à sua implantação, como impacto de vizinhança, tráfego, drenagem pluvial, abastecimento de água, esgotamento sanitário, densidade demográfica e especialmente de impacto ambiental”.
Frente a isso, foi oferecida representação ao TCDF para que sejam ouvidos todos os órgãos públicos envolvidos, a fim de esclarecerem, na medida de suas responsabilidades, se foi observado o princípio da legalidade, desde o início, quando da escolha do local, até a execução do projeto. Para o MP de Contas, também é necessário saber o que será feito daqui para frente, para que os problemas sejam solucionados em benefício da população. Além disso, a ocorrência das irregularidades foi remetida ao conhecimento do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e do Ministério Público de Contas da União.

Com o racionamento de água, Brasília deve adotar como hino a música Lata D'água na Cabeça

Quarta, 18 de janeiro de 2017
Lata D'Água na Cabeça
Marlene
Vídeo postado no Youtube pelo Canal SenhorDaVoz

Aterro Sanitário de Brasília é inaugurado e traz preocupações para a Defensoria

Quarta, 18 de janeiro de 2018

Da Defensoria Pública do DF

Novo espaço receberá apenas materiais não reutilizados o que deixa catadores de material reciclado desamparados
A Defensoria Pública do Distrito Federal participou nesta terça-feira (17), da inauguração do Aterro Sanitário de Brasília, na cidade de Samambaia, espaço projetado para comportar 8,13 milhões de toneladas de rejeitos – materiais não reutilizáveis. A iniciativa dá início ao processo de fechamento do Lixão da Estrutural, considerado o segundo maior do mundo.

Defensoria pede interdição parcial do Centro de Detenção Provisória do DF, na Papuda

Quarta, 17 de janeiro de 2017

Da Defensoria Pública do DF
Em inspeção, defensores constatam que CDP opera três vezes acima da capacidade e presos vivem em condições subumanas
A Defensoria Pública do Distrito Federal entrou esta semana com uma Ação Civil Pública no Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT), pedindo a interdição parcial do Centro de Detenção Provisória (CDP) do Complexo da Papuda, em Brasília. O órgão, por meio do Núcleo de Assistência Judiciária de Defesa dos Direitos Humanos e do Núcleo de Execução Penal, alega que os internos vivem em condições subumanas, em razão da insuficiência da estrutura física, para acolher a quantidade de reclusos que se encontram na unidade, local que abriga presos provisórios e condenados em regime semiaberto – este último indevidamente, segundo o texto.

Empresários investigados na Operação Custo Brasil (da prisão de Paulo Bernardo, ex-ministro do Planejamento) não conseguem afastar medidas cautelares

Quarta, 18 de janeiro de 2017
do STJ
A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, indeferiu pedido de liminar em favor dos empresários Joaquim José Maranhão da Câmara e Emanuel Dantas do Nascimento, sócios da empresa Consucred, com sede em Recife, investigados por suposto envolvimento em pagamento de propina a servidores públicos e agentes políticos.

Direito do idoso: Central realiza 2,6 mil atendimentos em 2016

Quarta, 18 de janeiro de 2017

Do MPDF
Casos mais frequentes referem-se à violência psicológica, seguida da violência financeira e da negligência

Durante o ano de 2016, a Central Judicial do Idoso, formada pelo Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), pelo Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT) e pela Defensoria Pública do DF (DPDF), realizou 2601 atendimentos. Desses, 1071 se referem a demandas que chegaram pela primeira vez e 1530 correspondem a acompanhamentos, quando as pessoas que já foram acolhidas retornam à Central. Do total dos casos atendidos, 283 foram relativos a violência contra pessoas de 60 anos de idade ou mais.

Urgente! Solidariedade às famílias da ocupação André Almeida — Jardim Colonial, SP

Quarta, 18 de janeiro de 2017
As famílias do Jardim Colonial estão necessitando da ajuda de todos, para seguir a diante na luta!

Cerca de 200 famílias despejadas na terça feira (17/01) estão em contato com o MTST e contam com a sua solidariedade para contribuir com:

GDF: Menos choque e mais gestão (II); tudo como dantes no quartel de Abrantes!

Quarta, 18 de janeiro de 2017

"Que o novo governo não enverede também pelos descaminhos da demagogia, da propaganda enganosa e dos tortuosos passos na administração pública, das inversões de prioridades, do dinheiro jogado fora. Que seja transparente em suas ações e claro (e detalhado) na disponibilização pública das informações financeiras. Que não aprofunde o caos.

E que não demore para reverter a situação. A população de Brasília está impaciente para recuperar a sua cidade. Não está disposta a esperar mais quatro anos para vencer o caos.

Menos choque e mais gestão."


Estes três parágrafos acima fechavam um texto postado aqui no Gama Livre em 18 de janeiro de 2015, portanto há exatos dois anos, logo no início do mandato de Rollemberg à frente do governo de Brasília.

Era um alerta, um conselho (se é que conselho se dá a governadores). Um apelo, até.

No texto original, o reconhecimento de uma herança maldita (termo em voga nos tempos de hoje) deixada pelo governo que o antecedeu, o desastroso governo Agnelo.

Adiante, o Gama Livre reproduz a postagem do dia 18 de janeiro do ano da Graça do Senhor de 2015. Veja se alguma coisa mudou de lá para cá. Parece que tudo está como dantes no quartel de Abrantes!

Superintendência rouba horas de trabalho de servidores do Hospital Regional de Samambaia por displicência, diz SindSaúde

Quarta, 18 de janeiro de 2017
Do SindSaúde

Superintendência ROUBA HORAS DE TRABALHO de servidores do HRSam por displicência


Auxiliares da lavanderia do Hospital Regional de Samambaia (HRSam) choraram ao descobrirem que foram tratados com discriminação e não receberam o pagamento das horas extras trabalhadas em agosto. Com isso, eles se viram obrigados a suspender, a partir de hoje (18), a atividade das horas extras. Estamos falando de pessoas de grande valor, que vêm se desdobrando por dias e dias, em condições precárias de trabalho, e que, depois de tanto esforço, a única coisa que receberam foi um tremendo calote. No HRSam, apenas servidores de demais categorias receberam o pagamento das horas extras.

O 'Conto do Paco' do governo Temer

Quarta, 18 de janeiro de 2017
Temer quer mudar nome do PAC para desvincular programa do PT, anuncia a imprensa.

'Malandramente', poderia mudar o nome de PAC para PACO, pois não passaria também de um conto do paco. Aquele em que o malandro entrega um pacote com notas falsas e leva do cidadão uma boa grana.

2017 e a penúltima etapa da viagem de um governo kamikaze chamado Rollemberg

Quarta, 18 de janeiro de 2017

O governador precisa decidir se reassume o comando do Buriti


O governo de Rodrigo Rollemberg (PSB) se assemelha a um grande trem desgovernado. Ele precisa contar com a sorte para que os passageiros cheguem com segurança até o fim da viagem. Não será uma missão fácil.

Desde o início desta gestão, o que a população tem percebido e comentado é que o governador sempre decide seguir o caminho mais cruel. No início, era fácil justificar as ações pela "grande crise econômica jamais vivida pelo Distrito Federal”. Este discurso, no entanto, foi desfiando e já se esgotou. Já deu.

Nas ruas, é difícil ouvir alguém que esteja convencido de que a crise é o único problema. Para muitos, falta competência ao chefe do Executivo. Se não for de fato, ficará como de direito. Afinal, não há um acerto sequer de toda a equipe ao administrar as crises que não são exclusividades deste governo. Vários outros governantes já passaram pelos mesmos problemas e os exemplos mostram o que ocorreu.

Só para argumentar, nossa cidade amanheceu com as passagens mais baratas novamente. Você assustou? É verdade. A decisão de recuar no reajuste não foi de longe algo pretendido pela atual equipe de governo. Pelo contrário. Quando a Câmara Legislativa se uniu para derrubar a decisão do socialista, demonstrou que deixou de lado a tradicional submissão daquele Poder com o Executivo e preferiu ouvir a voz das ruas. Parecendo um surdo, Rollemberg há tempos não sabe o que é ouvir.

Com a arriscada estratégia de recorrer à Justiça, e judicializar seus “poderes”, o governador até conseguiu uma série de vitórias temporárias. Foi assim com o aumento dos servidores, aprovado por lei, mas que o socialista fez questão de suspender. Uma atitude para lá de arriscada, tendo em vista a grande quantidade de funcionários públicos que vivem no Distrito Federal. De lá, já ganhou muita antipatia, inclusive de eleitores. Isso só para registrar um exemplo.

Quando tomou a decisão de reajustar as passagens de ônibus e metrô, Rollemberg confiou no poder de sua caneta. Assumiu o risco. Enfrentou a população, deu as costas para a Câmara Legislativa, que marcou a independência da atual gestão. Só que desta vez, não foi como o governo esperava.

Sem dialogar, sem ouvir ninguém e sem querer aceitar a derrubada de seu decreto que aumentou as passagens do transporte pelo Legislativo, o chefe do Executivo acionou a Justiça, mas desta vez o roteiro seguiu outro rumo, Rollemberg bateu com a cara no muro. O desembargador Getúlio Moraes de Oliveira, relator da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), pediu ajuda ao Conselho Especial da Corte, formado por mais 17 magistrados. Juntos, eles vão decidir se o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) aprovado pelos deputados distritais está de acordo ou não a Constituição.

Mesmo ao contrariar uma de suas principais promessas de campanha, a de não reajustar as tarifas do transporte público, e de ser autor de projetos de concessão de passe livre para vários segmentos, o socialista investiu contra a vontade da população e de sua própria história. Rollemberg parece não ver e não ouvir. Assim tem perdido cada vez mais, a credibilidade que ainda lhe resta.

Assim como outros inúmeros, o exemplo das tarifas serve apenas para ilustrar a falta de habilidade, de traquejo politico e de vontade da atual administração de tentar, ao menos, ouvir o que o povo tem a dizer. É um equívoco após o outro. A desconfiança ultrapassa o povo e começa a chegar dentro de órgãos de controle e até mesmo no Judiciário. Não é arriscado apostar na possível derrota jurídica do chefe do Executivo. Alguns desembargadores já sabem que há outras formas de atravessar essa crise.

Se for derrotado na Justiça, será a prova que faltava para Rollemberg entender que sua gestão está descontrolada. Reverter a péssima imagem que assombra sua administração passa a ser quase um milagre. 

O discurso de austeridade de Rollemberg a cada dia se desfazendo, já era. As promessas de equilibrar as contas são desmentidas a cada momento. Não se vê resultados práticos de gestão. Só há punições de todas as ordens para quem o colocou na principal cadeira do Distrito Federal. A vida útil política do governador parece que se aproxima do fim. 

Não custa lembrar que o grande trem desgovernado está nessa montanha russa por um único motivo: o socialista, por mais irônico que pareça, está próximo demais de burocratas. Está longe o bastante de quem realmente lhe garantiu um voto de confiança: o povo.

Administrar um território como o do Distrito Federal, ouvindo apenas pareceres técnicos ou mesmo a versão de quem apenas lucra com o suor do cidadão, é o maior equívoco de seu governo. O cidadão está carente de boas notícias. 

Há quem aposte que os distritais já não querem responsabilidade sobre os rumos desse trem. O governador precisa decidir se reassume o comando do Buriti - e desenvolve o papel para o qual foi eleito - ou se, mesmo sem querer, tem trabalhado para entregar de vez a cabine de comando ao Legislativo local. Porque, pelo visto, a própria Justiça já não quer ser mais co-piloto dessa viagem kamikaze. Seria demais enterrar três Poderes de uma vez só. Para eles, um é o suficiente. Resta saber qual.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Da finança de casino à servidão das elites

Terça, 17 de janeiro de 2017
Do resistir.info

por Daniel Vaz de Carvalho

De la Grande Guerre à la crise permanente é um livro de Marc Chesney (MC) [1] com o duplo interesse de se verificar que a par de contundentes e documentadas críticas ao sistema financeiro neoliberal são propostas soluções que não rompem esse sistema.

1 - Os mercenários da finança 

No capítulo 1, MC fala de gente que ao serviço da finança assume as características de mercenários: indiferença, grosseria, superficialidade. Ausência de outros valores para além dos financeiros e uma vacuidade moral que nunca coloca a utilidade social de atuações que abalam empresas e países e produzem desemprego em massa.

Ministro Teori Zavascki determina primeiras diligências em delações da Odebrecht

Terça, 17 de janeiro de 2017
André Richter - Repórter da Agência Brasil
O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou hoje (17) as primeiras diligências nas petições que tratam da homologação dos acordos de delação de executivos da empreiteira Odebrecht na Operação Lava Jato. Zavascki despachou em pelo menos dez dos 77 documentos que chegaram ao Supremo em dezembro do ano passado. O conteúdo das decisões não foi divulgado em razão do segredo de Justiça imposto às investigações.

Lava Jato: MPF firma acordo de leniência com Rolls-Royce

Terça, 17 de janeiro de 2017
Do MPF
Empresa pagará multa e ressarcirá valor equivalente às comissões pagas aos intermediários e aos lucros obtidos nos contratos com a Petrobras
MPF firma acordo de leniência com Rolls-Royce
O Ministério Público Federal (MPF) firmou, na última sexta-feira, 13 de janeiro, acordo de leniência com a Rolls-Royce, holding britânica do grupo Rolls-Royce, a respeito de atos ilícitos praticados em benefício de empresas pertencentes a esse grupo econômico e investigados pela força-tarefa Lava Jato. O acordo será submetido à homologação da 5ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal.

Rollemberg prorroga pela quarta vez consecutiva o Estado de Emergência na Saúde

Terça, 17 de janeiro de 2017
O Governador Rollemberg vai prorrogar o estado de emergência até o fim do mandato?

Do Blog do Sombra
Por Chico Vigilante, deputado distrital PT/DF

O DODF publicou nesta segunda-feira (16), em edição extra, decreto do governador Rodrigo Rollemberg prorrogando por mais 180 dias a situação de emergência no âmbito da Saúde Pública do Distrito Federal. Com mais essa prorrogação, a Saúde Pública brasiliense completa dois anos consecutivos em situação de emergência.

Caldeiras do HRAN: MPDF ajuíza ação contra o DF e empresa por vazamentos de óleo no Lago Paranoá

Terça, 17 de janeiro de 2017

Mancha de óleo no Lago Paranoá. Foto EBC

=========
Do MPDF
A Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (Prodema) ajuizou ação civil pública contra o Distrito Federal e a empresa Técnica Construção, Comércio e Indústria Ltda. por vazamentos de óleo do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) no Lago Paranoá. O Ministério Público requer o pagamento de indenização pelos danos materiais e morais coletivos causados ao meio ambiente e pede que os réus sejam condenados a trocar as caldeiras do HRAN sem paralisar as atividades hospitalares.

Executiva Nacional do PDT decidiu hoje (17/1) expulsar o senador Telmário Mota, que votou a favor da PEC do teto dos gastos, a PEC do fim do mundo

Terça, 17 de janeiro de 2017

Senador Telmário. Foto EBC

Do site do PDT Naciaonal

A Executiva Nacional do PDT decidiu, Ad referendum, expulsar o senador Telmário Mota (RR) dos quadros da legenda. A decisão foi tomada após o senador, por mais de uma vez, não seguir decisões partidárias e, mais recentemente, atacar membros da direção em uma entrevista à Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul.
O Senador foi enquadrado no Inciso 2 do Artigo 62 do Estatuto, que prevê a punição, Ad referendum, de membros que tomem atitudes graves.
“A entrevista dele foi de uma agressividade que ninguém entendeu. Disse que a direção do partido é formada por ladrões. Desta forma, proponho que ele seja expulso e que, caso tenha coragem, use o seu amplo direito de defesa”, afirmou Lupi. A decisão de expulsar o senador foi unânime na Executiva.
O senador poderá apresentar sua defesa a ser analisada pelo Diretório Nacional, em reunião que vai acontecer em 18 de março.

Reajuste das passagens está “contaminado por vícios”, diz MP de Contas

Terça, 17 de janeiro de 2017
Órgão de controle do DF pede uma investigação sobre a regularidade da revisão tarifária, por estar baseada em “dados irreais”

Do Metrópoles
Foto: Reprodução/Divulgação/Facebook
Blog do Sombra

O coro dos descontentes com o reajuste de até 25% nas tarifas de ônibus e metrô, em vigor desde o dia 2 de janeiro, aumentou. Órgãos de controle também cobram do Governo do DF uma explicação para o aumento. O Ministério Público de Contas expediu um ofício à presidência do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) para que seja realizada uma investigação sobre a regularidade da revisão tarifária, “contaminada por vícios” e baseada em “dados irreais”.

No documento, o MP de Contas destaca que a concorrência que selecionou as empresas de ônibus para operar o sistema público no DF, apesar de já contar com cinco anos e de ter sido anulada pela Justiça em decisão de primeiro grau, permanece com vícios e irregularidades.

O reajuste foi criticado por passageiros, empresários e acabou suspenso pelos deputados distritais. Para mantê-lo, o GDF recorreu à Justiça.

É recorrente o pedido ministerial acerca da revisão tarifária em razão de estar contaminada por vícios, além de ter sido concedida com dados não oficiais de quilômetros rodados e quantidade de passageiros transportados".


O uso do cachimbo deixou a boca torta? Lula dá aval para PT negociar cargos na Mesa Diretora da Câmara

Terça, 17 de janeiro de 2017
Ex-presidente considera ser mais importante o partido não ficar de fora do comando da Câmara nos próximos dois anos

Por noticiasaominuto
Foto: Divulgação/Reprodução
Blog do Sombra

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu aval ao PT na Câmara negociar cargos na Mesa Diretora em troca de apoio à reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Casa.

Segundo interlocutores, Lula considera ser mais importante o partido não ficar de fora do comando da Câmara nos próximos dois anos, como aconteceu na eleição do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em 2015, quando a sigla lançou Arlindo Chinaglia (PT-SP) e ficou sem cargo.

De acordo com interlocutores do deputado do DEM, ele vai propor um "acordo de cavalheiros" ao ex-presidente em troca do apoio. Além da Segunda-Secretaria da Câmara, Maia vai prometer compensar a sigla na divisão das comissões especiais da Casa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

==========

PT: Com Rodrigo Maia e Eunício Oliveira não dá! O uso do cachimbo deixou a boca torta?

Terça, 17 de janeiro de 2017
Da página Militantes pela Reconstrução do PT

O uso do cachimbo deixou a boca torta?

Artigo de Markus Sokol publicado no jornal O Trabalho nº 800 de 12 de janeiro de 2017


A renovação Mesas da Câmara e do Senado será no começo de fevereiro. A decisão das bancadas do PT será em 16 de janeiro, mas a imprensa especula sobre o apoio do PT aos candidatos a presidente preferenciais de Temer, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) e o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Números não apontam benefícios nas cadeias com participação privada

Terça, 17 de janeiro de 2017

Agência de Reportagem e Jornalismo Investigativo

Mesmo defasados, dados oficiais indicam mortalidade maior nos presídios da gestão privada; presença das empresas no setor prisional ainda é tímida
Um dos grandes problemas quando se fala do sistema penitenciário é a falta de dados atualizados. Quando apresentou um plano nacional de segurança para dar uma resposta à matança nos presídios, neste mês, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, afirmou que não há registro sobre a quantidade de presos nas penitenciárias brasileiras.
No entanto, existem dados disponíveis do próprio MJ, que foram compilados pelo Departamento Penitenciário Nacional, e o último levantamento é de 2014.

Em ação de reintegração de posse em São Paulo, Guilherme Boulos, do MTST, é detido





GDF aciona a Justiça para manter aumento das passagens de ônibus

Terça, 17 de janeiro de 2017
Procuradoria-Geral do DF entrou com ação direta de inconstitucionalidade no TJDFT

Do Metrópoles
Pedro Alves

O Palácio do Buriti acionou a Justiça para tentar manter o reajuste das passagens de ônibus. Segundo a Procuradoria-Geral do DF, foi impetrada, no Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT), uma ação direta de inconstitucionalidade (ADI) contra o decreto legislativo que derrubou o aumento aplicado em 2 de janeiro.
A ação foi ajuizada no início da noite desta segunda-feira (16/1) e o GDF pede urgência na análise. O relator do processo será o desembargador Getúlio Moraes de Oliveira. No documento, a Procuradoria-Geral do DF argumenta que a Câmara Legislativa extrapolou sua competência ao aprovar a medida.
Leia a íntegra

Bloqueio do passe estudantil. Bloqueio do governo Rollemberg

Terça, 17 de janeiro de 2017
Como estratégia de propaganda para forçar o tarifaço das passagens de ônibus e metrô, o governador bloqueou o passe livre estudantil. Daqui a pouco, quem sabe, ele parte para bloquear o passe livre dos idosos. Deve imaginar que idoso não pode ficar andando de ônibus pra lá e pra cá em época em que muita gente está de férias.

Já os estudantes, estão loucos para ver bloqueado o Rollemberg. Mas eles precisam saber que bloqueando o homem, o governo para totalmente. Na verdade, há quem jure que já vem travado há muito tempo. Desde janeiro de 2015.