Imprensa é oposição. O resto é armazém de secos e molhados."

(Millôr Fernandes)

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Operação Genebra faz busca na casa de ex-secretário-adjunto de Saúde, dirigente da Cruz Vermelha

Quarta, 28 de junho de 2017
Do Blog do Sombra
Operação Genebra faz busca na casa de ex-secretário-adjunto de Saúde, dirigente da Cruz Vermelha
Os investigadores realizam busca e apreensão, autorizada pela Justiça, na casa de Antunes, no Lago Norte
Por Ana Maria Campos, CB. Poder Foto: Reprodução/Divulgação/Marcelo Ferreira/CB - 
O Ministério Público do Distrito Federal e a Polícia Civil do DF deflagram nesta manhã (28/06) a segunda fase da Operação Genebra com foco na atuação do ex-secretário-adjunto de Gestão da Secretaria de Saúde Fernando Antunes na contratação da Cruz Vermelha para gerir duas UPAs em 2010. Com esse intuito, os investigadores realizam busca e apreensão, autorizada pela Justiça, na casa de Antunes, no Lago Norte.

Se 172 deputados salvarem Temer, que salvará esses 172 deputados?

Quarta, 28 de junho de 2017
"...presidente que acaba de fazer o mais VERGONHOSO discurso, baixaria pura e indecente"

Do Blog Oficial do Jornal da Tribuna da Imprensa
HELIO FERNANDES

O próprio AINDA presidente, tenta se mostrar forte e inarredável, reúne grupos no Planalto ou no Jaburu, pela manhã, à tarde e à noite, exibe farsa, arrogância e bazófia. E termina sempre com o que pretende se transforme em realidade ou marca registrada: "Ficarei até o fim do meu mandato em 2018".

Aí, aponta a mão de forma circular, "eu e meus ministros". Como não têm o que fazer, não faltam. O mais assíduo e contumaz é Meirelles, o único que sempre fala, coisas deste tipo: "Estamos em plena recuperação". Ou então, "superamos a recessão". Finalmente não esquece o desespero do desemprego de 14 milhões, que atinge todo o país: "Já começaram as contratações com carteira assinada". E as televisões mostram filas colossais para 26 vagas anunciadas.

Fraga usou laranja para ocultar posse de apartamento em Brasília, diz MP

Quarta, 28 de junho de 2017
Do Blog do Sombra
Fraga usou laranja para ocultar posse de apartamento em Brasília, diz MP
Órgão investiga conduta do político na Secretaria de Transportes e na posse de apartamento em hotel de luxo. Suposto laranja era assessor de Alberto Fraga; parlamentar nega

O Ministério Público do Distrito Federal apontou contradições em depoimentos do deputado federal Alberto Fraga (DEM) nas investigações de irregularidades no setor de transportes, durante a gestão do governo de José Roberto Arruda (PR), e na posse de um apartamento em um hotel de luxo em Brasília.

Pergunta que não quer calar: com tantas notícias sobre corrupção, por que os grandes protestos sumiram das ruas?

Quarta, 28 de junho de 2017
Do Blog Bahia em Pauta
Duas pessoas protestam pedem a cassação de Temer, em 6 de junho. Foto Fernando Bizerra Jr. — EFE


DO EL PAÍS

Felipe Betim
São Paulo
Os protestos contra a corrupção do PT e a favor do impeachment de Dilma Rousseff bateram sucessivos recordes de público entre 2015 e 2016 e marcaram a agenda de um Brasil mergulhado em uma crise política e econômica. Era o Brasil reencontrando os protestos de ruas depois do marco das jornadas de 2013, que também cobraram da classe política mais atenção aos temas caros à sociedade. A crise política dos últimos anos, porém, evoluiu para drama e atingiu patamares de surrealismo em 2017, atingindo seu ponto alto nesta segunda-feira com a denúncia da Procuradoria Geral da República contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva. Entre a saída de Dilma e a acusação de Rodrigo Janot contra Temer estão as delações dos executivos da Odebrecht e da JBS escancarando a corrupção de toda a elite política do país. Ainda assim, ao contrário dos últimos anos, não se viu uma explosão de indignação nas ruas, uma catarse como foi há dois anos.

PGR pede inconstitucionalidade de lei que permite terceirização da atividade fim

Quarta, 28 de junho de 2017
Do MPF
Para Rodrigo Janot, a norma fere direitos fundamentais garantidos pela Constituição ao trabalhador, além de precarizar as relações de trabalho


O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que declare inconstitucional a Lei 13.429/2017, sancionada em março deste ano, que possibilita a contratação irrestrita de terceirizados na atuação finalística das empresas e em atividades permanentes. Para o PGR, a lei contraria o caráter excepcional do regime de terceirização e viola o regime constitucional de emprego socialmente protegido, além de  esvaziar os direitos fundamentais conferidos ao trabalhador.

terça-feira, 27 de junho de 2017

E o WhatasApp não perdoa o discurso de Temer na internet

Terça, 27 de junho de 2017
E depois do 'discurso' de Temer na internet (com medo de panelaço) nesta terça (27/6)...passou a correr no WhatsApp:

A saudade bateu, quero te ver, te ver. No batuque gostoso do Ilê Ayê

Terça, 27 de junho de 2017
Saudade do Ilê - Banda Eva (Ivete Sangalo)

MPDF recebe representação pela manutenção da regulamentação da Lei Anti-Homofobia

Terça, 27 de junho de 2017

Do MPDF
imagem materiaA Procuradoria Distrital dos Direitos do Cidadão (PDDC) recebeu na tarde desta terça-feira, 27 de junho, representação de diversas entidades de defesa dos Direitos Humanos contra o decreto legislativo que derrubou a regulamentação da lei anti-homofobia. O pedido é para que o Ministério Público avalie medidas que possam ser adotadas para suspender o ato da Câmara Legislativa do DF (CLDF).

Ministério Público Federal recorrerá ao STJ da absolvição de João Vaccari Neto

Terça, 27 de junho de 2017
Do MPF
Acórdão foi proferido nesta terça-feira (27) pelo TRF da 4ª Região
O Ministério Público Federal, por meio da Procuradoria Regional da República da 4ª Região, informa que recorrerá do acórdão proferido nesta terça-feira, 27 de junho, pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região nos autos da apelação criminal nº 5012331-04.2015.4.04.7000. Com base nos elementos do parecer apresentado no processo e no voto do desembargador relator, que foi vencido no julgamento, a procuradoria pedirá ao Superior Tribunal de Justiça a revisão do entendimento que absolveu João Vaccari Neto e, consequentemente, sua condenação.

Temer governa o país com presidiário de Curitiba, diz Renan em plenário; veja o vídeo

Terça, 27 de junho de 2017
Veja no Congresso em Foco

Depois da fala de Temer na internet, nota de esclarecimento do MPF sobre denúncia contra o presidente da República; não há dúvida quanto à materialidade e a autoria do crime de corrupção passiva

Terça, 27 de junho de 2017
Do MPF
Nota de esclarecimento sobre denúncia contra o presidente da República
Segundo a nota, denúncia contra presidente Michel Temer é pública e baseada em fartos elementos de prova, que não deixam dúvida quanto à materialidade e a autoria do crime de corrupção passiva
A denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente da República, Michel Temer, nessa segunda-feira, 26 de junho, é pública e baseada em fartos elementos de prova, tais como laudos da Polícia Federal, relatórios circunstanciados, registro de voos, contratos, depoimentos, gravações ambientais, imagens, vídeos, certidões, entre outros documentos, que não deixam dúvida quanto à materialidade e a autoria do crime de corrupção passiva. A peça foi submetida à análise do Supremo Tribunal Federal e seguirá o trâmite previsto na Constituição Federal.

TCDF determinou nesta terça (27/6) abertura de Tomada de Contas Especial sobre prejuízos nas obras do Mané Garrincha

Terça, 27 de junho de 2017
Do TCDF
O Plenário do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) determinou nesta terça-feira, dia 27 de junho, a conversão em Tomada de Contas Especial (TCE) do Processo 30101/2010, relativo às duas primeiras etapas das obras do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. A decisão também autorizou a citação imediata dos responsáveis indicados na Matriz de Responsabilização do processo para que, no prazo de 30 dias, apresentem defesa ou recolham solidariamente o valor corrigido do débito a eles atribuído. Ainda cabe recurso da decisão.

Nicolao Dino, Raquel Dodge e Luiz Bonsaglia, os três nomes a serem submetidos a Temer para procurador-geral da República

Terça, 27 de junho de 2017
É pouco provável que Temer escolha o mais votado, Nicolao Dino. Ele defendeu, no TSE, a cassação da chapa Dilma—Temer.
==========

Do MPF
Membros do MPF escolhem três nomes para o cargo de procurador-geral da República

Com um quórum histórico de 85%, a votação contou com 1.108 eleitores
Membros do MPF escolhem três nomes para o cargo de procurador-geral da República

Último debate entre os candidatos, promovido pela ANPR, foi no último dia 22. Foto: Antônio Augusto (Secom/PGR)
Os subprocuradores-gerais da República Nicolao Dino de Castro e Costa Neto (621 votos), Raquel Elias Ferreira Dodge (587 votos) e Mario Luiz Bonsaglia (564 votos) foram escolhidos para compor a lista tríplice ao cargo de Procurador-Geral da República nesta terça-feira (27). A votação promovida pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) teve início às 9h e foi encerrada às 18h. Com um quórum histórico de 85%, a votação contou com 1.108 eleitores.

Melancolia, fragmentação e a crise da práxis. Desafios da esquerda brasileira

Terça, 27 de junho de 2017

Do IHU
Instituto Humanitas Unisinos
Por: Patricia Fachin | 27 Junho 2017


O fato de a esquerda estar em crise não significa que ela esteja perdida ou não tenha um projeto. Ao contrário, ela “tem objetivos” e “se enxerga como um ator”, avalia Sabrina Fernandes, autora da tese de doutorado intitulada “Crisis of Praxis: Depoliticization and Leftist Fragmentation in Brazil”, defendida neste ano na Carleton University, no Canadá. “O que eu argumento é que a esquerda está em crise, sim, e essa é uma crise de práxis. Significa que o papel da esquerda em interpelar multidões, transformá-las em atores políticos como base, e assim unificar suas consciências e experiências ao redor de um projeto, está em crise. A falta de trabalho de base é um fator e sintoma disso. Também há a melancolia da esquerda. Na esquerda moderada isso se manifesta como um contínuo entreguismo à ordem política. A política de conciliação de classes do PT, que não passa de uma farsa, é exemplo disso. Já a esquerda radical está melancólica porque não sabe lidar com a hegemonia que o PT ainda possui, sente falta de um tempo de unificação e base estruturada que não vai recuperar tão fácil assim e se confunde entre autoproclamação, agitação e politização com frequência”, resume.
Na entrevista a seguir, concedida por e-mail para a IHU On-LineSabrina também comenta o fenômeno de Junho de 2013 e suas consequências quatro anos depois. “Junho de 2013 expôs a crise das esquerdas no Brasil. Ficou evidente que havia um problema de representatividade, questões de sentimento antiesquerda, uma leitura popular de traição petista, e a inabilidade da esquerda radical de dialogar com a população que foi às ruas”. Junho, frisa, “marcou o começo de uma nova conjuntura com peso retomado para ações de rua e repercussão intensa sobre temas políticos, em especial a corrupção e a disputa entre esquerda e direita”.

Distrital Delmasso retira da Ordem do Dia da CLDF o projeto do escola sem partido/escola fundamentalista

Terça, 27 de junho de 2017
O Projeto de Emenda à Lei Orgânica do DF (PELO) nº 38 de 2016 que estava para ser votado hoje (27/6) pelos deputados distritais, foi retirado da ordem do dia pelo seu autor, Rodrigo Delmasso.

Clique aqui e saiba mais sobre esta coisa horrorosa. Que seria o resultado de um cruzamento incestuoso do "Escola sem Partido" com uma "Escola Fundamentalista".

Entidades LGBT protestam contra derrubada de decreto anti-homofobia

Terça, 27 de junho de 2017

Da CLDF
Representantes de diversas entidades LGBT do Distrito Federal compareceram à Câmara Legislativa nesta terça-feira (27) para protestar contra a aprovação do projeto de decreto legislativo nº 300/2017, que susta os efeitos do decreto governamental que regulamenta a chamada Lei Anti-homofobia. O grupo de manifestantes recebeu apoio de parlamentares, e o deputado Ricardo Vale (PT) anunciou que irá apresentar outro PDL, que deverá ser submetido ao plenário, revogando a decisão.
"Tão logo seja publicado o texto do projeto sustando os efeitos do decreto governamental, eu entrarei com um PDL solicitando a revogação dessa decisão, que considero equivocada", explicou. O distrital criticou os colegas que votaram a favor da proposição, de autoria dos deputados Rodrigo Delmasso (Podemos), Bispo Renato Andrade (PR) e Julio Cesar (PRB), entre outros.
"Não devemos trazer temas religiosos para o Legislativo. O Estado é laico", declarou Ricardo Vale, fazendo críticas à bancada evangélica, que defendeu a inclusão da matéria na pauta da sessão itinerante do projeto Câmara em Movimento, realizada para debater questões ligadas ao setor produtivo, na última segunda-feira (26). "Devíamos estar evoluindo no respeito às diferenças e aos direitos humanos", completou.
A deputada Liliane Roriz (PTB) também se posicionou ao lado dos manifestantes e reforçou a ideia de apresentar uma proposição para revogar o PDL nº 300/2017. "Se até o papa Francisco respeita as pessoas LGBT, não é meia dúzia desta Casa que pode ir contra uma população inteira", argumentou. Ela fez questão de dizer que na sua família há gays e que sofrem com discriminação.
Liderança – O deputado Delmasso foi à tribuna para justificar o seu voto pela revogação do decreto e disse que seu embasamento foi "constitucional". Na interpretação do parlamentar, a Lei Anti-homofobia cria figuras jurídicas que somente poderiam ser estabelecidas pela União. "O governo não poderia regulamentar uma lei que contém inconstitucionalidades", ponderou Delmasso, que deve deixar a liderança do governo a partir de 1º de julho. Sobre esta questão, ele afirmou, porém, que continuará integrando a base do governo na Câmara Legislativa.
Marco Túlio Alencar - Coordenadoria de Comunicação Social

Trambique de OSs: MPF no Maranhão denuncia presidente e diretores de instituto que desviou dinheiro da saúde

Terça, 27 de junho de 2017
Cuidado, governador!

Do MPF no Maranhão
Foi constatado desvio de R$ 87 mil pelo Idac. Os denunciados foram presos em flagrante no dia 2 de junho de 2017, mas, atualmente, estão em liberdade
O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) denunciou Antônio Augusto Silva Aragão, presidente do Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (Idac); Bruno Balby Monteiro e Mauro Serra Santos, diretores responsáveis pela gestão financeira do Instituto, por desvio de R$ 87 mil de recursos públicos federais destinados à saúde. Valterleno Silva Reis também está entre os denunciados por ter participado ativamente do esquema.
Conforme contextualiza o MPF na denúncia, o Idac, organização social sem fins lucrativos, celebrou diversos contratos de gestão com o Estado do Maranhão para administrar unidades hospitalares. Os contratos totalizaram mais de R$ 240 milhões, sendo que, desse montante, no período entre 1º de janeiro de 2014 e 28 de junho de 2016, mais de R$ 130 milhões eram oriundos de repasses federais. Segundo apontam as investigações, cerca de 10% dos recursos foram desviados pela entidade, que é legalmente impedida de utilizar a atividade decorrente dos referidos contratos para obtenção de lucro.

Maninha critica decreto legislativo dos distritais que "anula" regulamentação de lei anti-homofobia

Terça, 27 de junho de 2017
Maninha
Independente de nossa crença, nenhuma religião  é lei. O estado é  laico. Essa afirmação  não foi assimilada pela CLDF. Sua bancada fundamentalista, numa sessão escondida aprova um decreto legislativo anulando a regulamentação  da Lei que proíbe e penaliza a LGBTFOBIA. Por que isto foi possível? Porque  a sociedade elege representantes que desconsideram direitos fundamentais que a Constituição garante. Porque, atrás  de uma falsa moralidade, não apresentam as sua faces verdadeiras, dentre eles, de conservadores e corruptos. Pergunto: para que serve um parlamento, para  defender nossos direitos ou para destruí-los? Mas, a resposta será  dada na inconstitucionalidade da ação e na mobilização de todos. Direitos humanos é  um direito de todas (os). NÃO  À DISCRIMINAÇÃO

MANINHA

CLDF: Escola fundamentalista pode ser aprovada hoje (27/6) pelos distritais; é a escola sem partido

Terça, 27 de junho de 2017
Os deputados distritais podem aprovar hoje (27/6) em plenário um PELO —Projeto de Emenda à Lei Orgânica do DF—,  mais um projeto fundamentalista, reacionário, discriminatório, que amordaça a Educação e que fere o mais simples direito amplo da população.

É o PELO 38 de 2016, cuja autoria é do distrital Rodrigo Delmasso e outros, em especial deputados da bancada evangélica pentecostal.

Para ser aprovado na chamada —segundo a população do DF— 'Casa dos Horrores', serão necessários 16 votos (dois terços dos 24 totais). 

Na linha da "Escola com Fundamentalismo", o projeto tenta amordaçar educadores, a Educação, o Estado. E colocar um tampão nos ouvidos dos estudantes. É um projeto derivado daqueles que surgem nas várias unidades da Federação, mas que o STF tem reiterado decisões contrárias, derrubando-os um a um. É aquele fundamentalismo que tomou corpo sob a falácia da "Escola sem Partido", mas que não passa de uma "Escola com fundamentalismo". Com reacionarismo.

É, também, um projeto para a bancada jogar para a platéia, isto é, para seus fiéis.

A seguir, clicando nas imagens abaixo, você pode ler melhor a estupidez que é este novo (apesar de apresentado em 2016) Projeto de Emenda à Lei Orgânica do DF. Se desejar, acesse aqui o PELO fundamentalista. Uma vergonha!

Um nojo!









Sem transporte público, DF vai parar na sexta (30/6)

Terça, 27 de junho de 2017
Sem transporte público, DF vai parar na sexta (30/6)
Servidores e trabalhadores vão se manifestar contra as reformas trabalhista e da Previdência. Agenda completa será definida pela CUT na 4ª
Por Nathália Cardim, Metrópoles Foto: Reprodução/Divulgação/Agência Brasil
e Blog do Sombra
Dezenas de categorias prometem aderir à greve geral marcada pelas centrais sindicais na próxima sexta-feira (30/6). Os servidores e trabalhadores da iniciativa privada cruzarão os braços contra as reformas trabalhista e da Previdência nas principais cidades do país. No Distrito Federal, rodoviários e metroviários anunciaram adesão ao movimento. Com isso, quem depende de transporte público (cerca de um milhão de pessoas) ficará sem ter como se deslocar na capital do país por 24 horas.